Com direito a semiaberto, goleiro Bruno deve deixar penitenciária de Varginha

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2018 10h02 - Atualizado em 24/09/2018 10h38
Renata Caldeira/TJMGA soma das penas chegaram as 20 anos e 9 meses de prisão

O goleiro Bruno Fernandes deve voltar a dormir em casa caso consiga obter a progressão de pena para o regime semiaberto domiciliar. O atestado de pena prevê a saída para o dia 6 de novembro. Entretanto, o advogado Fábio Gama diz que mais de 150 dias de trabalho e estudos precisam entrar no cálculo, diminuindo o tempo necessário para obtenção do benefício.

Bruno foi condenado pelo homicídio triplamente qualificado de sua ex-namorada Eliza Samúdio. O goleiro também foi indiciado por sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Além disso, foi condenado por ocultação de cadáver, mas de acordo com a Justiça, a pena foi extinta porque o crime prescreveu.

A soma das penas chegaram as 20 anos e 9 meses de prisão. Ao total, Bruno, por ser mandante do crime, teve sua pena aumentada. Por outro lado, como é réu confesso, teve a pena diminuída na mesma proporção. Ele precisa cumprir 7 anos, 6 meses e 15 dias de pena para ter direito ao benefício do semiaberto. Este número diminui devido às remições por tempo trabalhado e estudado.

O goleiro cumpriu pouco mais de 8 anos de pena. Porém, uma falta grave ocorrida em 2013 fez com que não seja computado o tempo total em que esteve recluso. Por isso, só depois de 2 de abril daquele ano é que é contado para a obtenção da progressão de pena para o semiaberto, resultado na previsão de alcance em 6 de novembro deste ano.