Com olhos marejados, Maia homologa plano de recuperação fiscal ao Rio de Janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 05/09/2017 17h26
Acompanha do governardor do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, o presidente da República em exercício, Rodrigo Maia, alerta que é preciso prudência para garantir o equilíbrio das contas públicas

Ainda na função de presidente da República em exercício, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) participou de cerimônia no Palácio do Planalto, que homologa o plano de recuperação fiscal ao estado do Rio de Janeiro. Chorando, Maia declarou que foi tomado pela emoção, principalmente porque sabe da dificuldade que foi aprovar o projeto.

“É uma emoção muito grande participar desse momento na defesa do nosso estado. Havia muitas divergências sobre o texto, mas sabíamos que o único caminho possível era a aprovação. No final do ano passado, a Câmara rejeitou uma proposta que veio do Senado. Foi um momento difícil para todos nós, deputados”, argumentou Maia.

O presidente da República em exercício frisou ainda que é preciso agir com cautela com relação ao equilíbrio das contas públicas. “Sabemos que a crise é visível no estado do Rio de Janeiro. Se não tomarmos medidas claras de redução dos gastos da União, dos estados e municípios, essa será a primeira de muitas, infelizmente”, completou.

O plano recuperação fiscal prevê o aporte de R$ 63 bilhões ao governo do Rio de Janeiro até 2020. Em contrapartida, o estado se comprometeu a entregar a Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) para privatização. Além disso, o governador Luiz Fernando Pezão deverá cortar os gastos e não aumentar as despesas. A medida foi sancionada pela União e busca auxiliar no equilíbrio das contas. A expectativa é que o estado possa quitar os salários em atraso dos servidores.