Como é a sala preparada para prisão de Lula em Curitiba

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2018 21h08
EFE/Antonio Lacerda Um forte esquema de segurança foi montado na sede da Polícia Federal em Curitiba para receber o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas isso não aconteceu nesta sexta (6)

Quando chegar a Curitiba após ser preso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ficará no quarto andar do prédio da Superintendência da Polícia Federal (PF) da capital paranaense em uma Sala de Estado Maior, como determinou o juiz federal Sérgio Moro.

Este tipo de sala especial está previsto no estatuto da Ordem de Advogados do Brasil (OAB) para a prisão de advogados. O mecanismo busca diminuir os efeitos do encarceramento de advogados em prisões cautelares.

O local era, originalmente, um dormitório destinado a receber agentes da PF de outras superintendências estaduais, a trabalho. Uma beliche foi retirada do local e foi instalada uma cama de solteiro para o ex-presidente.

A sala possui uma janela, um armário embutido e um banheiro privativo com vaso sanitário e chuveiro.

Lula, deste modo, não terá contato com os presos da carceragem da Polícia Federal, como o ex-ministro Antonio Palocci, que chegou a acusar o ex-presidente de fazer um “pacto de sangue” em acerto de propina com a Odebrecht, e o lobista Adir Assad.

O ex-presidente terá direito a visita de familiares uma vez por semana. A mesma regra vale para as outras pessoas detidas na Superintendência.

O chefe de custódia da PF, Jorge Chestalo Filho, afirmou à reportagem que Lula não deverá ficar na Superintendência indefinidamente, mas apenas nos primeiros dias de cumprimento da pena. O responsável não quis prever a quantidade de dias de permanência no local, no entanto. Após esse período, o petista deve ser encaminhado a alguma ala do sistema prisional paranaense, caso nenhum de seus pedidos de “habeas corpus” a tribunais superiores prospere.

Lula só ficaria na sede da PF caso a própria Polícia Federal entenda necessário que ele permaneça no local, como, por exemplo, para elucidação mais fácil de alguma outra investigação que ainda pesa sobre o ex-presidente.

As informações são do repórter Jovem Pan em Curitiba, Tiago Muniz

Os policiais militares da tropa de choque da Polícia Militar ficaram de prontidão desde as 14h até a noite desta sexta (6). Um grande perímetro de segurança foi montado em volta da superintendência.

Um pequeno grupo de manifestantes a favor da prisão de Lula permaneceu com um carro de som no bairro Santa Cândida.

Apoiadores do PT têm marcado para este sábado (7) um ato de comemoração pela saída do governador paranaense Beto Richa (PSDB).

Entenda

Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 12 anos e 1 mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) no caso do tríplex do Guarujá, que teria sido dado ao ex-presidente pela empreiteira OAS como propina.

Após recursos de “habeas corpus” preventivo negados pelo Superior Tribunal de Justiça e pelo Supremo Tribunal Federal, o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Lava Jato, emitiu na tarde desta quina (5) o mandado de prisão contra Lula.

O ex-presidente tinha até as 17h desta sexta (6) para se apresentar à Polícia Federal em Curitiba (PR), mas decidiu não fazê-lo e segue encastelado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP). A Polícia Federal negocia a rendição com interlocutores do ex-presidente. A expectativa é que Lula se entregue neste sábado (7) após missa em homenagem ao aniversário de sua ex-esposa, Marisa Letícia e, depois, seja encaminhado para Curitiba.