‘Congresso está peitando sociedade e só representa os próprios interesses’, critica Carvalhosa

  • Por Jovem Pan
  • 26/05/2019 16h39
Para o jurista, o governo não tem apoio suficiente da própria base parlamentar para aprovar medidas como a reforma da Previdência e a MP 870

Em entrevista à Jovem Pan neste domingo (26), o jurista Modesto Carvalhosa criticou o as recentes movimentações do Congresso Nacional contra os projetos enviados pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo o advogado, os parlamentares estão ‘peitando a sociedade’ e só representam os ‘próprios interesses’.

“Tirando o Coaf do [ministro da Justiça] Sergio Moro, por exemplo, o Congresso se confronta com a sociedade e peita os eleitores”, avaliou Carvalhosa. “Eles não representam os pedidos do povo, só os próprios interesses”.

Para o jurista, o governo não tem apoio suficiente da própria base parlamentar para aprovar medidas como a reforma da Previdência e a MP 870, que reestrutura a administração federal, por exemplo. “Esse líder do governo no Senado, Fernando Bezerra, é completamente contra os projetos do governo. Está acontecendo uma sabotagem interna”, disse.

Milhares de pessoas em todo o Brasil saem às ruas neste domingo para apoiar as propostas da agenda de Bolsonaro. Há manifestações em mais de  300 cidades do país a favor da mudança no sistema de aposentadorias, criticando os deputados federais do chamado “centrão” e os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Sobre a Corte, Carvalhosa também comentou que os juízes deveriam ser investigados por suas ações através da Comissão Parlamentar de Inquérito que ficou conhecida como ‘Lava Toga‘. O colegiado, que não teve a instalação aprovada no Senado, conta com a oposição do presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“Esse Alcolumbre é tão velho quanto o [ex-presidente] José Sarney, ele impede que haja a discussão sobre impeachments de ministros do STF”, disse Carvalhosa. “O único jeito de reverter isso é com o povo pressionando os senadores”.

Veja a entrevista completa no vídeo: