Conheça as escolas de samba que desfilam neste sábado no Carnaval do Rio de Janeiro

Segunda noite de desfiles terá homenagem a Martinho da Vila, aos orixás e ao povo negro

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2022 10h00 - Atualizado em 23/04/2022 15h17
Reprodução/Site da Grande Rio Reprodução/Site da Grande Rio Vice-campeã em 2020, a Grande Rio é uma das escolas que vão agitar a Sapucaí neste sábado

Na noite deste sábado, 23, a partir das 22h, seis escolas de samba vão abrilhantar o segundo dia de desfiles do grupo especial do Carnaval do Rio de Janeiro. A primeira escola a entrar na Sapucaí será a Paraíso do Tuiuti, que vem seguida da Portela, maior campeã da folia carioca. Na sequência, desfila a Mocidade Independente de Padre Miguel, sendo seguida pela Unidos da Tijuca. Na madrugada, a Acadêmicos do Grande Rio será a penúltima. Já a Unidos de Vila Isabel encerrará os desfiles do Carnaval carioca. Confira abaixo um guia sobre cada uma das seis escolas.

Paraíso do Tuiuti (22h)

  • Presidente: Renato Thor
  • Cores: Azul e amarelo
  • Carnavalesco: Paulo Barros
  • Mestre de Bateria: Marcão
  • Intérprete: Celsinho Mody, Carlos Júnior e Grazzi Brasil
  • Melhor colocação na história: Vice-campeã (2018)
  • Enredo: “Ka Ríba Tí Ÿe – Que Nossos Caminhos se Abram”

Tentando repetir o bom resultado do Carnaval de 2018, quando foi vice-campeã, a Paraíso do Tuiuti apresentará o enredo “Ka Ríba Tí Ÿe – Que Nossos Caminhos se Abram”, que irá exaltar o povo negro e a contribuição de personalidades negras na história da humanidade, como Nelson Mandela e Barack Obama. Com renovações em alguns setores, a escola busca melhorar seus resultados depois de quase ter sido rebaixada em 2020.

Portela

  • Presidente: Luis Carlos Magalhães
  • Cores: Azul e branco
  • Carnavalescos: Renato Lage e Márcia Lage
  • Mestre de Bateria: Nilo Sérgio
  • Intérprete: Gilsinho
  • Melhor colocação na história: Campeã (1935, 1939, 1941, 1942, 1943, 1944, 1945, 1946, 1947, 1951, 1953, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1964, 1966, 1970, 1980, 1984 e 2017)
  • Enredo: Igi Osé Baobá

Em busca de seu 23º título do carnaval carioca, a Portela será a segunda escola a desfilar no sábado, 23. Em seu desfile a agremiação, trará o enredo “Igi Osé Baobá”, no qual homenageará a árvore Baobá, extremamente ligada às religiões de matriz africana por ter o poder de ligar o sagrado à humanidade. Além disso, a escola fará um paralelo entre a árvore e sua própria história.

Mocidade Independente de Padre Miguel

  • Presidente: Flávio Santos
  • Cores: Verde e branco
  • Carnavalesco: Fábio Ricardo
  • Mestre de Bateria: Dudu
  • Intérprete: Wander Pires
  • Melhor colocação na história: Campeã (1979, 1985, 1990, 1991, 1996 e 2017)
  • Enredo: “Batuque ao Caçador”

Terceira colocada em 2020, a Mocidade Independente de Padre Miguel apostará em uma homenagem ao orixá Oxóssi no enredo “Batuque ao Caçador”. Na umbanda, Oxóssi é associado à natureza, aos animais e à caça, o que motiva o nome do enredo assinado pelo estreante Fábio Ricardo. Além disso, a agremiação irá homenagear nomes importantes de sua própria história. Esse será o primeiro Carnaval da escola depois da morte de Elza Soares, um dos principais símbolos da agremiação.

Unidos da Tijuca

  • Presidente: Fernando Horta
  • Cores: Amarelo e azul
  • Carnavalesco: Jack Vasconcelos
  • Mestre de Bateria: Casagrande
  • Intérpretes: Wantuir e Wic Tavares
  • Melhor colocação na história: Campeã (1936, 2010, 2012 e 2014)
  • Enredo: “Waranã – A Reexistência Vermelha”

Querendo voltar ao topo, a Unidos da Tijuca apostará no enredo “Waranã – A reexistência vermelha”. Assinado pelo carnavalesco estreante Jack Vasconcelos, a escola contará a lenda do guaraná dentro da cultura indígena e defenderá a autonomia dos índios como donos de suas terras. Uma novidade interessante é a chegada de Wic Tavares ao time de intérpretes, onde cantará ao lado de seu pai, Wantuir.

Acadêmicos do Grande Rio

  • Presidente: Milton Perácio
  • Cores: Verde, branco e vermelho
  • Carnavalescos: Gabriel Haddad e Leonardo Bora
  • Mestre de Bateria: Fabrício Machado
  • Intérprete: Evandro Malandro
  • Melhor colocação na história: Vice-campeã (2006, 2007, 2010 e 2020)
  • Enredo: “Fala, Majeté! Sete chaves de Exu”

Depois de bater na trave em 2020, a Acadêmicos do Grande do Rio volta à Sapucaí para tentar seu título inédito. Cantando o enredo “Fala, Majeté! Sete chaves de Exu”, a escola de Duque de Caxias pretende desmistificar o orixá, normalmente associado a aspectos ruins. Assinado pelos carnavalescos Gabriel Haddad e Leonardo Bora, o desfile promete ter um tom similar ao de 2020, quando a escola falou sobre intolerância religiosa.

Unidos de Vila Isabel

  • Presidente: Fernando Fernandes
  • Cores: Azul e branco
  • Carnavalesco: Edson Pereira
  • Mestre de Bateria: Macaco Branco
  • Intérprete: Tinga
  • Melhor colocação na história: Campeã (1988, 2006 e 2013)
  • Enredo: “Canta, Canta Minha Gente. A Vila é Martinho”

Em busca de seu quarto título, a Vila Isabel deve proporcionar um dos grandes momentos do Carnaval carioca ao homenagear o cantor, compositor e símbolo da escola Martinho da Vila. Dentre os compositores do samba que foi escolhido para o desfile está o sambista Dudu Nobre. A agremiação será responsável por encerrar os desfiles do Carnaval de 2022.