Conheça os vencedores das categorias Jornalismo e Pesquisa do Prêmio Longevidade

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2019 14h07 - Atualizado em 13/11/2019 10h20
Foto: Jovem Pan

O XIV Fórum da Longevidade, promovido pela Bradesco Seguros nesta terça-feira (12), em São Paulo. Ao longo do evento, aconteceu a nona edição dos Prêmios Longevidade, que reconheceu nomes do jornalismo e da pesquisa acadêmica que contribuíram com informações relevantes para a promoção do envelhecimento saudável. 

Neste ano, a premiação obteve o maior número de inscritos registrados em sua história, que começou em 2011. No total, foram mais de 500 trabalhos avaliados e divididos em três categorias: Jornalismo, Pesquisa e Histórias de Vida. 

No Prêmio Longevidade de Jornalismo é reconhecida a importância da imprensa como formadora de opinião e difusora de conhecimento; Nesta categoria, a Bradesco Seguros busca estimular a produção jornalística criativa de assuntos ligados à longevidade e o envelhecimento saudável. 

Foram escolhidos dois vencedores para as sub-categorias ‘Jornal Impresso’, ‘Revista Impressa’, ‘TV’, ‘Rádio’ e ‘Web’ – sendo 10 projetos jornalísticos premiados. 

Conheça os trabalhos vencedores: 

  • Jornalismo: Jornal Impresso

 

Carmem Lúcia Melo de Souza: série de três matérias sobre os impactos da obesidade na saúde, na qualidade de vida e na expectativa de vida dos indivíduos, especialmente os que chegaram à maturidade.

Leila Cristina de Souza Lima: ‘Envelhecimento rápido impõe novos desafios para o Brasil’, ela mostra como o rápido envelhecimento da população vai impactar as políticas previdenciárias, de saúde e assistenciais, impondo importantes e urgentes adaptações econômicas e sociais. 

 

  • Jornalismo: Revista impressa

 

Giuliana Toledo: A reportagem de capa da revista Galileu, “O envelhecimento é uma doença? Tem cura?”

 Joyce Moisés: Reportagem “Os perennials estão entre nós”. Pesquisadores, especialistas e perennials são ouvidos na reportagem recheada de exemplos e características dessa nova tribo, para quem a maturidade deixa de ser um fim para se tornar um novo começo, uma espécie de segundo round.

 

  • Jornalismo: WEB

 

 Yuri Alves Fernandes: “LGBT + 60: Corpos que resistem”, publicada no Projeto #Colabora.

 Marcelle Cristine de Souza: Matéria “Rumo aos 100 anos”, que busca entender os motivos de algumas pessoas com mais de 80 anos, além de viver bastante, vivem muito bem, intrigando médicos, amigos e familiares. 

 

  • Jornalismo: TV

 

Gracielly Bittencourt Machado:  “Quarta idade: a vida depois dos 80” foi ouvir o que idosos – anônimos e famosos – estão fazendo para ter uma velhice com qualidade de vida e saúde. 

 Mariana Romão: “Jogo da Previdência: envelhecimento populacional pressiona as contas da seguridade social” recebeu o troféu de segundo colocado em TV.

 

  • Jornalismo: Rádio

 

 Marcos Andrei Meller: série de reportagens “Viver Mais” conta histórias de catarinenses que vivem intensamente depois dos 60. 

 Géssika Aline Lima da Costa: reportagem “Veteranos da Vida”, que mostra uma presença cada vez maior de idosos nas faculdades e universidades brasileiras.

O Prêmio Pesquisa em Longevidade, por sua vez, é direcionado à comunidade acadêmica e reconhece destaques nas subcategorias ‘Geriatria’ e ‘Gerontologia’. Somente estão habilitados a concorrer projetos de pesquisa desenvolvidos no âmbito acadêmico e aprovados no período de 31/8/2009 a 6/9/2019 e que remetam ao tema longevidade no sentido amplo.

No total, foram 4 vencedores. Conheça: 

 

  • Geriatria

 

Márlon Juliano Romero Aliberti: Tese de Doutorado “Avaliação geriátrica compacta de 10 minutos: desenvolvimento e validação de um instrumento de rastreio multidimensional breve para idosos”.

Guilherme Cerutti Muller: estudo “Análise da presença da inversão da razão CD4:CD8 em idosos e seu perfil celular e bioquímico”, que investigou marcadores de estresse oxidativo e as defesas antioxidantes em idosos.

 

  • Gerontologia

 

Camila Astolphi Lima:  tese “A queda em idosos: da avaliação ao tratamento pós-queda”.

Diego Felix Miguel: estudo “Processo artístico e terceira idade: oficinas de teatro como estratégia de emancipação da velhice”, que reflete a respeito de uma prática teatral (oficina de teatro) como atividade que pode contribuir com a inclusão do idoso na vida social. 

Acompanhe o XIV Fórum da Longevidade, ao vivo, no www.vivaalongevidade.com.br