Consórcio vencedor de contrato ofereceu preço 3,5% menor à Petrobras, diz engenheiro

  • Por Agência Câmara Notícias
  • 08/06/2015 18h23
Petrobras

O engenheiro Abenildo Alves de Oliveira, gerente do contrato de construção de obras prediais da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, disse à CPI da Petrobras que o consórcio vencedor do contrato que coordenou na obra ofereceu proposta 3,5% menor que a estimativa de custos feita pela Petrobras.

“Foram oito propostas, sendo cinco delas dentro da margem que a Petrobras aceita. Quem ganhou foi o consórcio formado pela Engevix e a EIT, com preço 3,5% menor que o estimado”, disse.

A Petrobras aceita propostas que estejam dentro da margem que vai de 20% a mais a 15% a menos que o valor estimado pela estatal.

“Se o preço vencedor foi abaixo do estimado, e se a Petrobras aceita propostas até 20% maior que o que ela mesmo estimava, isso pode significar que a estimativa de custos pode estar com valores acima dos praticados no mercado”, disse o deputado Izalci (PSDB-DF).

“Eu não sou especialista em estimativa de custos, então não posso dizer isso”, respondeu o engenheiro.

Neste momento, a CPI ouve o depoimento do engenheiro Flávio Fernando Casa Nova da Motta, que já foi gerente setorial de obras na refinaria Abreu e Lima e no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro.