CoronaVac deve ser usada só em crianças e adolescentes, anuncia Queiroga

Com o fim do estado de emergência sanitária, o Ministério da Saúde pediu à Anvisa que o registro emergencial da vacina seja estendido por mais um ano

  • Por Jovem Pan
  • 18/04/2022 13h44 - Atualizado em 18/04/2022 13h49
MATEUS BONOMI/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO Marcelo Queiroga Ministro anunciou fim do estado de emergência sanitária neste domingo

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta segunda-feira, 18, que a CoronaVac agora deve ser usada apenas em crianças e adolescentes entre 5 e 18 anos. A mudança ocorre após o fim do estado de emergência sanitária nacional. “Ainda não conseguiu se colecionar evidências científicas suficientes para que esse imunizante tivesse um registro definitivo. Para um esquema vacinal primário em adultos, esse imunizante — isso é consenso em países que têm agências regulatórias do porte da Anvisa— não é usado para o esquema vacinal primário. Ele pode ser usado para esquema vacinal primário no Brasil para a faixa etária compreendida entre 5 e 18 anos”, declarou em entrevista coletiva.

Queiroga anunciou o fim do estado de emergência sanitária na noite deste domingo, 17. Uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de 10 de março de 2021 prevê que, com isso, a autorização para o uso emergencial de vacinas fica suspensa. É o caso da CoronaVac no Brasil. Os imunizantes da Pfizer, Janssen e AstraZeneca já têm registro definitivo. O ministro afirmou que o governo enviou um pedido à agência para que o registro emergencial seja estendido por mais um ano, mas não incluiu o uso em adultos. “Claro que essa é uma decisão da agência regulatória. Se a Anvisa autorizar, atender o pleito do Ministério da Saúde, essa vacina pode ser usada em crianças e adolescentes”, concluiu.