Coronavírus: Brasileiros devem chegar ao Brasil no sábado; quarentena será em Goiás

Quem apresentar qualquer sintoma da infecção será levado ao Hospital das Forças Armadas, em Brasília, para avaliação médica

  • Por Jovem Pan
  • 04/02/2020 19h35
Vinicius Loures/Câmara dos DeputadosDecisões foram tomadas após uma reunião de ministros, como o da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, com o presidente Jair Bolsonaro

Os brasileiros que estão em Wuhan, epicentro da epidemia do novo coronavírus na China, devem chegar ao Brasil na manhã deste sábado (8). O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, informou nesta terça-feira (4) que a quarentena será cumprida em Anápolis (GO), e quem apresentar qualquer sintoma da infecção será levado ao Hospital das Forças Armadas, em Brasília, para avaliação médica.

As informações são do portal G1. Segundo o ministro, eles serão repatriados em dois aviões reservas da frota presidencial, nos quais o presidente Jair Bolsonaro não costuma viajar. A aeronave deve sair da Base Aérea de Brasília ao meio-dia desta quarta e chegar à China na madrugada de sexta.

“O presidente [Jair Bolsonaro] concordou em ceder suas duas aeronaves, com capacidade de 30 passageiros cada um. O presidente abriu mão das aeronaves, tendo em vista a situação da Força Aérea”, disse Fernando Azevedo e Silva.

Além da tripulação, também embarcarão equipes médicas do Ministério da Saúde e do Instituto de Medicina Especializada da Força Aérea Brasileira para monitorar os brasileiros no trajeto de volta.

Na ida, as escalas serão feitas em Fortaleza (CE), Las Palmas (Ilhas Canárias, Espanha), Varsóvia (Polônia) e Ürumqi (China), antes de pousar em Wuhan. Na volta, o trajeto será o mesmo, porém o desembarque irá ocorrer diretamente em Anápolis.

Segundo o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, os brasileiros que desejarem voltar devem informar à Embaixada do Brasil em Pequim até 24 horas antes do embarque – ou seja, até a manhã de quinta-feira na capital chinesa.

“Os brasileiros que desejam retornar, fiquem em contato permanente com a nossa embaixada em Pequim. [Faremos] Tudo obedecendo parâmetros do governo chinês”, declarou Araújo.

Medidas para a quarentena

De acordo com o Projeto de Lei enviado pelo presidente ao Congresso Nacional, as medidas estabelecidas pelo governo visam a proteção da coletividade. Estão previstos o isolamento; a quarentena; a realização compulsória de coletas de amostras, exames, vacinas e tratamentos médicos específicos; a restrição temporária de entrada e saída do país, e a requisição de bens e serviços.

Também ficará autorizado, de forma excepcional e temporária, a importação de produtos sujeitos à vigilância sanitária sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), desde que registrados por autoridade sanitária estrangeira e previstos em ato do Ministério da Saúde. O governo também será dispensado de realizar licitação para aquisição de bens, serviços e insumos de saúde enquanto perdurar a emergência em saúde decorrente do coronavírus.

Pelo texto encaminhado pelo Executivo, é dever de todas as pessoas comunicar imediatamente às autoridades possíveis sintomas do coronavírus, circulação em áreas de contaminação ou contato com pessoas doentes. Também será obrigatório o compartilhamento de dados sobrBe pessoas infectadas ou suspeita de infecção, entre todos os órgãos e entidades públicos e privados, com a finalidade exclusiva de evitar a propagação do vírus. O inteiro teor da proposição está disponível no site da Câmara dos Deputados.