Corpo de mecânico morto em acidente permanece na plataforma da Petrobras após 24h

  • Por Jovem Pan
  • 26/11/2018 17h00 - Atualizado em 26/11/2018 17h08
Divulgação - PetrobrasO mecânico morreu por volta das 14h30 de domingo (25) e, após mais de 24h, seu corpo ainda não havia sido resgatado

Até às 16h30 desta segunda-feira (26), o corpo do mecânico Sandro Ferreira da Silva, funcionário da RIP Serviços Industriais, permanecia na plataforma PNA-2 da Petrobras, na costa norte do Rio de Janeiro. Silva morreu por volta das 14h30 da tarde de domingo (25) enquanto fazia manutenção em um guindaste.

De lá para cá, a perícia da Polícia Civil não conseguiu alcançar o corpo devido ao mau tempo. Os peritos encontraram dificuldade de sobrevoar o local de helicóptero.

Segundo a RIP Serviços Industriais, uma subsidiária da Kaefer no país que presta serviços à Petrobras, Silva tinha 43 anos e era de Marataízes, no Espirito Santo. O Sindipetro-NF, setor de segurança da Petrobras, garantiu que formará uma comissão para investigar o acidente.

O coordenador do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra, disparou contra a gestão da estatal. “Uma empresa que dá mais dinheiro para acionista americano do que investe em Saúde e Segurança, é terreno fértil para acidentes fatais como esses. A gestão da empresa terá que responder por essa fatalidade”, desabafou.

A RIP Serviços Industriais disse, em nota, que está prestando atenção a todos os envolvidos e tem colaborado com as autoridades locais. A Petrobras também se manifestou por meio de nota. “Lamentamos informar o falecimento de um funcionário da empresa RIP Serviços Industriais ocorrido neste domingo”, informou, garantindo que irá apurar as circunstâncias do acidente.

*com informações de Estadão Conteúdo