Correios devem continuar a ter prejuízo este ano, diz presidente da empresa

  • Por Estadão Conteúdo
  • 20/12/2017 20h20
Divulgação/PSDCampos também reafirmou a avaliação de que a intervenção no fundo de pensão dos funcionários da estatal, o Postalis, era "inadequada"

Os Correios continuarão com prejuízo em 2017 graças aos gastos com o plano de demissão voluntária e as despesas com o plano de saúde da estatal. A informação foi dada pelo presidente da empresa, Guilherme Campos. No mercado, há expectativa de perdas em torno de R$ 2 bilhões neste ano.

Ao anunciar parceria com a companhia aérea Azul, o executivo disse que grande parte do resultado negativo deste ano é gerado pelo gasto da estatal com o plano de saúde dos funcionários. Só com essa despesa, a companhia deve gastar entre R$ 1,8 bilhão e R$ 1,9 bilhão neste ano.

Outra grande despesa foi gerada pelo plano de demissão voluntária que deve consumir cerca de R$ 970 milhões ao longo de oito anos.

Postalis

Campos também reafirmou a avaliação de que a intervenção no fundo de pensão dos funcionários da estatal, o Postalis, era “inadequada”. Mais cedo, a Justiça Federal de São Paulo reconduziu aos cargos administradores do fundo que tinham sido afastados após intervenção da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

“Nós achávamos que a intervenção era inadequada naquele momento”, disse, ao lembrar posição já citada quando houve a intervenção no Postalis. O executivo reafirmou que o momento da intervenção não pareceu adequado, já que as perdas foram registradas em gestão que não estava mais no comando do fundo.