Covas autoriza comércio de rua e imobiliárias a reabrirem nesta quarta

Shoppings só devem voltar à ativa na quinta-feira

  • Por Jovem Pan
  • 09/06/2020 19h25 - Atualizado em 09/06/2020 19h32
ROGÉRIO GALASSE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOCovas assinou um termo de compromisso com 27 entidades representativas de imobiliárias e do comércio de rua para que setores "voltem com segurança"

No final da tarde desta terça-feira (9), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), confirmou a reabertura do comércio de rua na cidade a partir de quarta (10), das 11h às 15h. Os shoppings centers, por sua vez, só voltarão a funcionar na quinta (11).

Covas assinou um termo de compromisso com 27 entidades representativas de imobiliárias e do comércio de rua para que estes setores voltem a funcionar com segurança. Cinco entidades do setor imobiliário e 22 do comércio firmaram o compromisso. As imobiliárias vão abrir quatro horas por dia, desde que o horário de funcionamento (abertura e fechamento) não ocorra durante o horário de pico.

Segundo o prefeito, a cidade “continua em quarentena e, embora a disseminação do vírus tenha sido controlada, é importante a população evitar deslocamento desnecessário”. Covas também lembrou a importância do município continuar avançando e “não retroceder nos índices de contaminação”.

Para isso, as entidades comprometeram-se com medidas de distanciamento social, higiene, sanitização de ambientes, orientação dos clientes e dos colaboradores, compromisso para testagem de colaboradores e medição de temperatura dos clientes, horários alternativos de funcionamento, redução do expediente, sistema de agendamento para atendimento, protocolo de fiscalização e monitoramento do próprio setor (autotutela), além de esquema de apoio para colaboradores que não tenham quem cuide de seus dependentes incapazes no período em que estiverem fechadas as creches, escolas e abrigos — especialmente as mulheres, que são mães.

Na última sexta-feira, a prefeitura autorizou a reabertura de concessionárias de veículos e escritórios. Os protocolos sanitários só deixarão de ser adotados quando acabar o estado de calamidade pública na cidade.

Classificada na fase 2 (laranja) no plano de retomada gradual da economia, a capital começou a receber na semana passada propostas para que os estabelecimentos voltem a funcionar em meio ao combate contra o coronavírus.