CPI da Petrobras aprova convocação de João Vaccari e de presidente do BNDES

  • Por Agência Brasil
  • 24/03/2015 20h51
SÃO PAULO, SP, 05.02.2015: OPERAÇÃO-LAVA JATO - Após depoimento, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, deixa superintendência da Polícia Federal, no bairro da Lapa, na zona oeste de São Paulo, nesta quinta-feira (5). (Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)João Vaccari Neto deixa sede da PF

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras aprovou hoje (24) mais de 100 requerimentos de convocação para depoimentos, quebra de sigilos e de compartilhamento de documentos e informações. Entre os requerimentos aprovados, as convocações do secretário de Finanças do PT, João Vaccari Neto, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Luciano Coutinho; e da ex-gerente de Abastecimento da Petrobras Venina Velosa da Fonseca.

Outros requerimentos aprovados convocam para depoimentos Augusto Mendonça, executivo da Setal Engenharia, e Mário Goes, apontado como um dos operadores do desvio de dinheiro da Petrobras. Também foram aprovadas solicitações de quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico de Pedro Barusco e Renato Duque, ex-diretores da Petrobras, além de pedidos para ouvir representantes de empresas que tiveram negócios com a Petrobras.

O presidente da CPI, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), confirmou para quinta-feira (26) o depoimento da ex-presidente da Petrobras Graça Foster. Motta adiantou que, após Graça Foster, poderão ser ouvidos os ex-dirigentes da Petrobras Glauco Legatti e Hugo Repsold, já convocados pela comissão.

Em relação ao depoimento de Vaccari, Hugo Motta anunciou que ele deverá ocorrer na primeira quinzena de abril. “Defendo que Vaccari seja ouvido o quanto antes, porque há uma expectativa muito grande diante das denúncias envolvendo seu nome. Queremos cumprir o calendário. Por isso, acredito que o depoimento ocorrerá na primeira quinzena de abril.”

Para o relator da CPI, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), a presença de Graça Foster na comissão não contribuirá para o trabalho da CPI. “Acho desnecessária a vinda da Graça à comissão. No meu entender, precisamos dar uma guinada, porque ficar ouvindo ex-presidentes e ex-diretores da Petrobras não gera uma boa imagem para a CPI”.

Segundo Luiz Sérgio, a partir da aprovação dos requerimentos de informações e de compartilhamento, a CPI receberá documentos para análises e pesquisas. “A CPI receberá uma montanha de documentos para quem quiser pesquisar e analisar as questões levantadas”, concluiu.