Cunha diz que, com novo inquérito, poderá se defender

  • Por Agência Estado
  • 15/10/2015 18h51
Sessão extraordinária para discussão e votação de diversos projetos Data: 15/10/2015 - Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados Alex Ferreira/Câmara dos Deputados Eduardo Cunha

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), informou, por meio de sua assessoria, que, com o novo inquérito, “poderá conhecer os dados e se defender”. Nesta quinta-feira, 15, a Procuradoria-Geral da República solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que abra um novo inquérito para investigar o presidente da Câmara com base nos documentos enviados pela Suíça que comprovam que Cunha possui contas naquele país.

O pedido precisa ser avaliado pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF.

Documentos enviados pelo Ministério Público da Suíça ao Brasil comprovam que um negócio de US$ 34,5 milhões fechado pela Petrobras em 2011, no Benin, na África, serviu para irrigar as quatro contas no país europeu que têm como beneficiários Cunha, e sua mulher, Cláudia Cordeiro Cruz.

No pedido que enviou ao STF, a Procuradoria-geral da República também solicita a investigação da esposa de Cunha e de sua filha Danielle da Cunha.