De volta ao Senado, Aécio reitera que não cometeu crime e diz ter sido vítima de armadilha

  • Por Jovem Pan
  • 04/07/2017 17h23
Moreira Mariz/Agência Senado Aécio Neves teve seu mandato suspenso pela Procuradoria-Geral da República após o vazamento das conversas com o empresário Joesley Batista

O senador Aécio Neves retornou ao Senado Federal e fez um pronunciamento para falar sobre o seu afastamento da Casa. De acordo com o tucano, o episódio foi motivo de “indignação e tristeza” para ele e reiterou que não cometeu nenhum crime, além de ter sido vítima de uma “armadilha” do empresário Joesley Batista.

“Sempre atuei na defesa do interesse público, na preservação do patrimônio dos brasileiros. (…) Retorno ao tema central que me traz hoje a essa tribuna. Não cometi crime algum. Não aceitei recursos de origem ilícita, não prometi vantagens indevidas a quem quer que fosse. (…) Fui vítima de uma armadilha de um criminoso confesso”, desabafou Aécio.

Segundo o senador, ele procurou Joesley para tentar vender um apartamento sem saber realmente quem ele era ainda. O parlamentar reiterou que nunca recebeu propina ou nada do tipo, e que errou ao entrar em uma “trama ardilosa”. “Nem mesmo os delatores apontam que favores teriam sido prestados. (…) Eu errei por me deixar envolver nessa trama ardilosa”, afirmou o tucano.

Aécio Neves teve seu mandato suspenso pela Procuradoria-Geral da República após o vazamento das conversas com o empresário Joesley Batista, que chegou a pedir também que o tucano fosse preso preventivamente, sob a suspeita de ter acertado e recebido por meio de assessores vantagem indevida no valor de R$ 2 milhões da JBS.

A defesa do senador Aécio Neves reafirmou que o dinheiro foi um empréstimo oferecido por Joesley Batista com o objetivo de forjar um crime que lhe permitisse obter o benefício da impunidade penal.

O empréstimo não envolveu dinheiro público e nenhuma contrapartida por parte do senador, não se podendo, portanto, falar em propina ou corrupção.

O senador afirmava ter convicção de que as investigações feitas com seriedade e isenção demonstrarão os fatos verdadeiramente ocorridos.