Defesa de Jucá se diz surpresa com denúncia: “não acredito que será recebida, mas é um gravame”

  • Por Fernando Ciupka/Jovem Pan
  • 21/08/2017 16h19 - Atualizado em 21/08/2017 16h26
CTRCDC - Pauta: instalação da comissão especial criada com a finalidade de examinar os projetos de lei do Senado (PLSs 281, 282 e 283, de 2012), que propõem alterações no Código de Defesa do Consumidor (CDC). Na reunião serão eleitos o presidente e o vice-presidente do colegiado. Senador Romero Jucá (PMDB-RR) Marcos Oliveira/Agência Senado Kakay disse que acompanhou todo o inquérito junto ao líder do governo no Senado Federal e afirmou que esperava o pedido de arquivamento, como foi sinalizado quando Jucá foi prestar depoimento na Polícia Federal

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, responsável pela defesa do senador Romero Jucá (PMDB-RR), se disse surpreso com a denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, mas não acredita na aceitação da mesma pela segunda turma do Supremo Tribunal Federal. O advogado disse ainda que, por mais que não passe no STF, a ação de Janot é grave.

“O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a quem eu respeito, disse que no final do mandato ele soltaria uma série de flechas. Que enquanto tivesse bambu, ainda teriam flechas para serem disparadas. E isso é muito grave, porque a denúncia, mesmo se não for recebida, é um gravame para a pessoa que é denunciada”, afirmou o advogado.

Kakay disse que acompanhou todo o inquérito junto ao líder do governo no Senado Federal e afirmou que esperava o pedido de arquivamento, como foi sinalizado quando Jucá foi prestar depoimento na Polícia Federal.

A notificação da denúncia será feita pelo relator do inquérito, o ministro do STF Ricardo Lewandowski, que vai receber a resposta  da defesa e encaminhar para o julgamento na segunda turma do Supremo, que vai decidir se Jucá vira réu ou não.