Defesa de Lula diz que absolvição é “prova de inocência”

  • Por Estadão Conteúdo
  • 02/09/2017 11h15
BRA100. CURITIBA (BRASIL), 10/05/2017.- El expresidente brasileño Luiz Inácio Lula da Silva participa hoy, miércoles 10 de mayo de 2017, en un evento con miles de simpatizantes, en la plaza Santos Andrade, en Curitiba (Brasil), tras declarar como imputado por corrupción. "Estoy vivo y preparándome para volver a ser candidato a la Presidencia de la República", afirmó. Lula prestó declaración durante cinco horas ante el juez Sergio Moro en los juzgados federales de Curitiba por la supuesta propiedad de un apartamento en el balneario paulista de Guarujá que figura en los registros a nombre de la constructora OAS. EFE/FERNANDO BIZERRA JRLula é acusado de ter participação direta na compra do silêncio de Nestor Cerveró

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o pedido de absolvição é “justo e reflete a prova da inocência” do petista, “coletada especialmente do depoimento de 31 testemunhas”. “Lula jamais praticou qualquer ato com o objetivo de impedir ou modular a delação premiada do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, ao contrário do que constou da denúncia”, disse, em nota, o advogado Cristiano Zanin.

Para ele, a iniciativa do procurador Ivan Cláudio Marx também confirmou que a delação de Delcídio Amaral “é uma farsa”. “O próprio Ministério Público Federal, na peça que pede a absolvição, faz referência à ‘grotesca versão de Delcídio’ e afirma que, na verdade, ‘Delcídio estava preocupado apenas com ele mesmo’”, disse.

O advogado de André Esteves, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, disse que a manifestação do MPF foi “digna”, uma vez que não ficou demonstrada, ao longo da instrução do processo, nenhuma participação de seu cliente no esquema denunciado. Ele disse que aguardará agora a decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira.