Delação da Odebrecht coloca em xeque campanhas políticas e partidos

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2016 14h56
A general view of the headquarters of Odebrecht, a large private Brazilian construction firm, in Sao Paulo in this November 14, 2014 file photo. Brazilian police on June 19, 2015, arrested Marcelo Odebrecht, the head of Latin America's largest engineering and construction company Odebrecht SA, local media said, pulling the most high-profile executive into the corruption investigation at state-run oil firm Petrobras. Federal officers had orders to arrest a total of 12 people in four states and bring them to the southern city of Curitiba where the investigation is based, according to a federal police statement that did not give the names of the detained. REUTERS/Paulo Whitaker/Files Reuters Odebrecht

A delação premiada e o acordo de leniência da Odebrecht colocam em xeque campanhas políticas e deixam partidos temerosos.

A empreiteira já assinou os documentos em que se compromete a prestar informações ao Ministério Público Federal no âmbito da Lava Jato.

As grandes legendas que receberam doações, como PT, PMDB, PSDB e PP, não devem ser poupadas.

O ex-presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, foi condenado a 19 anos e 4 meses por corrupção, lavagem de dinheiro e por integrar organização criminosa. Ele está preso desde junho de 2015 pela Polícia Federal e virou réu um mês depois.

As possíveis irregularidades nas campanhas de Dilma Roussef, Michel Temer e Aécio Neves, em 2014, podem ser reveladas com a delação. O pai de Marcelo, Emilio Odebrecht, também prestará depoimentos.

Os investigadores da Lava Jato já revelaram que a empreiteira tinha uma diretoria constituída apenas para pagar propinas a agentes público e políticos.

As planilhas relacionam políticos de partidos a valores pagos como ao senador Renan Calheiros e o deputado afastado Eduardo Cunha.

A inclusão no inquérito contra o publicitário João Santana pode fazer com que a denúncia seja encaminhada ao STF, saindo das mãos de Sérgio Moro.

*Informações do repórter Thiago Uberreich