Deputado Felipe Francischini, do PSL, vai presidir Comissão de Constituição e Justiça, diz líder do governo

  • Por Jovem Pan
  • 07/03/2019 20h13
Reprodução/FacebookAntes parlamentar estadual pelo Paraná, Francischini assumiu o primeiro mandato como deputado federal

A presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados será responsabilidade de Felipe Francischini (PSL-PR). A informação foi revelada pela líder do governo no Congresso Nacional, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP).

Ainda de acordo com a parlamentar, Bia Kicis (PSL-DF) será a vice-presidente do colegiado, considerado o mais importante do parlamento. A comissão será a primeira a analisar, por exemplo, a proposta do governo federal para reforma da Previdência.

“O nome do deputado foi acatado pela bancada. Fizemos fechamento de acordo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia [DEM-RJ], e o PSL ficou com a CCJ, que é a comissão mais importante para que a gente dê o pontapé inicial na nova Previdência”, disse Joice.

Na avaliação dela, “seria loucura deixar na mão de inimigo” a comissão. “Francischini é um jovem deputado, chegou na Câmara nesta legislatura, mas já tem experiência de Assembleia Legislativa [do Paraná], gosta do assunto e vai ser apoiado pela Bia Kicis.”

A tramitação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) passa por dois passos antes de chegar ao plenário da Câmara: precisa ter aval da CCJ em relação a princípios constitucionais e, depois, aprovada em comissão especial que analisa o teor do texto.

Reforma da Previdência

Nesta quinta, Joice Hasselmann afirmou que os nomes dos relatores do texto da reforma da Previdência na CCJ e na comissão especial ainda não estão definidos. Segundo ela, há cinco deputados disputando relatoria da comissão especial e “três ou quatro” da CCJ.

“A busca é por alguém que tenha musculatura para aguentar bastante pressão. Por óbvio, o relator dessa nova Previdência vai sofrer muita pressão, em especial de alguns segmentos que chamo de marajás da previdência”, comentou a parlamentar.

Ela destacou que os nomes devem ter perfil técnico em relação ao assunto. Questionada sobre se os deputados Arthur Maia (DEM-BA) e Pedro Paulo (DEM-RJ) estariam na lista, respondeu: “São bons nomes. Há outros neste páreo, mas são bons nomes”.

*Com informações do Estadão Conteúdo