Na CCJ, deputado sai em defesa de Joice Hasselman e chama mulheres da oposição de ‘tchutchucarada’

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2019 19h01
Marcelo Camargo/Agência Brasil"Graças a Deus têm chegado outras mulheres aqui que pensam diferente", disse o deputado

Os ânimos se afloraram no plenário da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta terça-feira (09) durante a leitura do parecer da reforma da Previdência. As deputadas Joice Hasselman (PSL-SP) e Maria do Rosário (PT-RS) entraram em embate após a petista ter reclamado que a colega estava sentada à mesa, o que levou a uma discussão entre as duas.

A briga se intensificou quando Joice começou a gravar Maria com o celular, postura que a oposição considerou “antiética”. O presidente do colegiado, Felipe Francischini (PSL-PR), interviu, dizendo que autorizava o uso de qualquer celular no plenário, e Rosário prometeu levar a questão ao Conselho de Ética da Casa.

O deputado Pastor Eurico (Patriota-PE), então, saiu em defesa de Joice, dizendo que era melhor ter a líder como “tigresa” do que a “tchutchucarada petista”. Segundo ele, “agora graças a Deus têm chegado pessoas, outras mulheres aqui, que pensam diferente o Brasil. É melhor termos a senhora e demais companheiras como tigresas do que ter essa tchutchucarada aí petista”.

O parlamentar fez uma referência ao deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), que chamou o ministro da Economia Paulo Guedes de “tchutchuca” durante audiência pública sobre a reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça na semana passada.