Deputados assinam projeto para criar CPI da Dersa na Alesp

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2019 22h15 - Atualizado em 28/03/2019 22h27
Divulgação Alesp CPI da Covid-19 As assinaturas para abertura da CPI foram coletadas por deputados do PT e do PSL

Mais de 30 deputados de 11 partidos na Assembleia Legislativa de São Paulo assinaram um projeto de resolução para criar a CPI da Dersa, que pretende investigar as denúncias de corrupção dentro da estatal nos sucessivos governos do PSDB.

As assinaturas foram coletadas por deputados do PT e do PSL, cujos pedidos de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a Dersa ficaram na segunda metade da lista de 23 CPIs protocoladas no início da nova legislatura.

Pelo regimento interno, a Alesp deve instalar cinco CPIs simultaneamente, seguindo a ordem cronológica de protocolo.

A CPI da Dersa, proposta pela deputada Beth Sahão (PT), foi a primeira da oposição a ser protocolada e ficou em apenas 12º lugar na fila. Pelo rito normal na Assembleia ela só seria instalada em 2020, já que cada comissão tem duração de 120 dias.

A CPI proposta pelo líder do PSL, Gil Diniz, com o mesmo objeto ficou em 22º na fila. As duas bancadas ameaçam obstruir todos os projetos de interesse do governo João Doria (PSDB) se a CPI da Dersa não for instalada.

O objetivo é investigar o histórico de suspeitas de corrupção na Dersa, responsável pelas grandes obras viárias do Estado, como o Rodoanel. O ex-diretor de engenharia da estatal Paulo Vieira de Souza, que está preso em Curitiba, foi condenado a mais de 145 anos de prisão pela Lava Jato por desvios nas obras do Trecho Sul do Rodoanel e da Jacu-Pêssego.

O ex-presidente da estatal Laurence Casagrande e outros ex-diretores também chegaram a ser presos no ano passado e foram denunciados pelo Ministério Público Federal por supostos desvios nas obras do Trecho Norte do Rodoanel, que estão parcialmente paralisadas e mais de três anos atrasadas.

Com informações de Agência Estado