Deputados bolsonaristas conseguem liminar para barrar suspensões do PSL

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2019 15h06 - Atualizado em 22/10/2019 15h15
Alan Santos/PROs processos disciplinares serão suspensos até o julgamento da ação cautelar

Os deputados do PSL da ala ligada ao presidente Jair Bolsonaro que foram notificados pelo partido sobre um processo de suspensão conseguiram na Justiça nesta terça-feira (22) uma liminar para evitar a punição. Segundo a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), a medida invalida a tentativa da Executiva Nacional de suspender as atividades de 19 parlamentares.

A Justiça determinou que “sejam suspensos todos os processos disciplinares instaurados em desfavor dos requerentes pelo partido réu, PSL, até o julgamento desta ação cautelar, quando será avaliada, principalmente, a alegação de que as notificações estavam desacompanhadas do inteiro teor da representação”.

Os deputados que assinam o documento são Eduardo Bolsonaro (SP), Vitor Hugo (GO), Alê Silva (MG), Bia Kicis (DF), Bibo Nunes (RS), Carla Zambelli (SP), Carlos Jordy (RJ), Chris Tonietto (RJ), Daniel Silveira (RJ), Luiz Ovando (MS), Coronel Armando (SC), Filipe Barros (PR), General Girão (RN), Helio Lopes (RJ), Junio Amaral (MG), Guiga Peixoto (SP), Luiz Philippe de Orleans e Bragança (SP), Marcio Labre (RJ) e Sanderson (RS).

Reunião do PSL

Nenhum dos 19 parlamentares compareceu à reunião do partido nesta manhã, em Brasília. Segundo o senador Major Olimpio (PSL-SP), no encontro foram debatidos processos para “aperfeiçoar a transparência do partido e ser mais ágil na divulgação das prestações de contas”.

Além disso, ele afirmou que ficou acertado que haverá a adoção de “compliance” para Executiva Nacional e diretórios estaduais. Também foi instituído o Conselho de Ética, como previa o edital que convocava para a reunião desta terça-feira.

* Com informações do Estadão Conteúdo