Bolsonaro decide deixar PSL e criar nova legenda

O presidente Jair Bolsonaro, no entanto, ainda não se pronunciou oficialmente sobre sua decisão

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2019 17h53 - Atualizado em 12/11/2019 22h35
GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDOO presidente Jair Bolsonaro

Parlamentares que participaram da reunião convocada pelo presidente Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (12), no Palácio do Planalto, afirmam que o presidente decidiu deixar o PSL e criar uma nova sigla chamada Aliança pelo Brasil.

A decisão do presidente acontece depois de uma longa crise entre o governo e o partido que começou após Bolsonaro afirmar que Luciano Bivar, presidente do PSL, estava “queimado” e pedir a um apoiador que “esquecesse o partido”. Desde então, o PSL passou a se dividir entre a ala bivarista, de apoiadores de Bivar, e bolsonaristas, formada por parlamentares que permanecem fiéis ao presidente.

A crise se acentuou ainda em outubro quando diversas listas buscavam trocar a liderança do PSL na Câmara, que era do Delegado Waldir (GO), que após saber das articulações, algumas encabeçadas por Bolsonaro, afirmou que “implodiria” o presidente e o chamou de “vagabundo”. Atualmente, o líder do partido na Câmara é o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente.

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) disse esperar que Bolsonaro presida o novo partido. Segundo ela, a primeira convenção da sigla será realizada em 21 de novembro. Ainda de acordo com ela, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) sairá de imediato do partido.

O deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) afirmou que a ideia dos deputados é permanecer no PSL até que a criação da nova legenda seja formalizada.

Os advogados de Bolsonaro estimam que vão conseguir entregar, até março do ano que vem, as cerca de 500 mil assinaturas exigidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para criação de nova sigla. A ideia é viabilizar o partido a tempo de lançar candidatos às eleições municipais de 2020, o que exige aprovação na corte eleitoral até abril.

O TSE ainda não confirmou, “mas vai” permitir, de acordo com o deputado Daniel Silveira, que a coleta das assinaturas necessárias seja feita por meio de um aplicativo para dispositivos móveis.

À noite, o próprio Bolsonaro resolveu comunicar oficialmente sua saída do PSL através das redes sociais

*Com informações do Estadão Conteúdo