Descentralização de studios aponta o futuro do mercado imobiliário

  • Por Jovem Pan
  • 18/11/2019 11h03
Kelsen Fernandes/ Fotos PúblicasPrédios em São Paulo

Uma pesquisa feita pelo Datafolha revelou que a zona leste de São Paulo, segundo os próprios paulistanos, é a segunda melhor região para se morar na cidade. O bairro do Tatuapé, por exemplo, de acordo com um levantamento feito pelo Grupo Zap VivaReal, foi o bairro que mais cresceu e recebeu novos edifícios em 2018. 

Isso significa que a região está passando por um processo de transformação. A percepção dos moradores de São Paulo em relação ao Tatuapé e bairros vizinhos, como o Belém, mudou. Isso possibilitou o surgimento de imóveis acessíveis, uma vez que os bairros começaram a ser considerados ‘bem localizados’. 

Descentralização de studios 

Os estúdios ficaram populares no Brasil e no mundo por conta de seu conceito inicial: imóveis compactos e planejados, localizados nos centros das grandes cidades. Essa ideia, apesar de continuar forte, não é mais uma regra: studios estão passando por um processo de descentralização e ocupando lugares um pouco mais afastados, mas com fácil acesso aos centros comerciais.

Um bom termômetro para medir esse movimento de expansão é o bairro do Tatuapé, na zona leste de São Paulo. A região vive um momento de revitalização e registra um aumento significativo do surgimento de empreendimentos desse tipo. 

A explicação do sucesso desses studios em lugares fora do centro são as condições nas quais esse tipo de imóvel é inserido. Em entrevista ao InfoMoney, Valter Caldana, coordenador do Laboratório de Políticas Públicas e Professor de arquitetura do Mackenzie, disse que o mais importante para o sucesso de empreendimentos imobiliários é a integração com serviços importantes da cidade. “A moradia do futuro precisa ser integrada com todos os serviços existentes da cidade, como por exemplo: redes de saneamento básico e transporte público em massa.” explicou. “Os novos empreendimentos têm que deixar de olhar para passado e olhar para o futuro pensando no melhor para os novos e antigos moradores do bairro”, disse. 

Ou seja, mais do que morar em um imóvel planejado, a localização desse tipo de empreendimento e o fácil acesso aos principais pontos da cidade, como shoppings e parques, é o atrativo principal para quem busca um lugar para morar.

Com o ritmo corrido da vida da maioria dos paulistanos, é cada vez mais comum que a praticidade do imóvel, tanto na estrutura quanto na localização, seja um dos pontos mais valorizados pelos clientes. Assim, a qualidade de vida aumenta consideravelmente, uma vez que o morador das proximidades do metrô não enfrenta os estresses causados pelo trânsito, por exemplo. 

Essa nova preferência da população pode ser traduzida em números! Um levantamento desenvolvido pelo Secovi-SP revelou que, em São Paulo, 6 em cada 10 apartamentos vendidos têm menos de 45 metros quadrados. 

 

Oportunidade de investimento 

Por conta da localização privilegiada, com fácil acesso ao metrô e pontos estratégicos da cidade, os imóveis compactos são uma ótima oportunidade de investimento. Considerando a efervescência do lugar e a alta procura de futuros moradores, a locação desses imóveis pode ser uma alternativa bastante atrativa para quem deseja aumentar o rendimento de suas economias. 

Além do interesse do público, outro ponto reforça que este é o momento para investir em imóveis: os juros estão cada vez mais baixos no Brasil. Em questões práticas, a inflação controlada somada a baixa histórica da taxa Selic (5%) colaboram para criar um ambiente mais estável para o fechamento de negócios. 

Isso significa que a redução de cada ponto percentual da Selic representa um desconto de 7% a 8% na parcela de financiamento imobiliário. 

Sendo assim, investir em imóveis compactos é um bom negócio tanto para locadores, que buscam um rendimento melhor de sua renda, quanto para moradores, que almejam aumentar a qualidade de vida e minimizar as dificuldades vindas dos problemas de mobilidade e localização de quem tem a vida corrida. 

Pensando nisso, a Diálogo Engenharia anunciou três tipos de empreendimentos que podem tornar realidade o sonho do imóvel próprio: Linea Studios, Praça Studios Tatuapé e Blem Studios. Os imóveis são ofertados sem a comprovação de renda e custam a partir de R$ 199 mil – o financiamento é feito direto com a construtora em até 180 meses. Todas as opções são próximas do metrô. Saiba mais AQUI.

  • Tags: