Desistência de Catta Preta reforça suspeita de CPI, diz Motta sobre uso de dinheiro ilegal para pagar defesa

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2015 10h44
Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados/ Agência Brasil Hugo Motta (PMDB)

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan nesta quinta-feira (23), o presidente da CPI da Petrobras, Hugo Motta (PMDB-PB), afirmou que a Comissão vai manter a convocação da advogada criminalista Beatriz Catta Preta, defensora de denunciados da Operação Lava Jato. Ela teria fechado o escritório no Brasil e se transferido para os Estados Unidos. “Isso gera um aumento de suspeição por parte não só de quem faz a CPI, como por parte de quem está acompanhando de perto esse caso”, e garantiu, “a CPI mantém a sua convocação”.

O requerimento partiu do deputado Celso Pansera (PMDB-RJ), que pede a apuração da origem do dinheiro utilizado para o pagamento dos honorários advocatícios de Catta Preta. “Se eles [os delatores] devolveram tudo [o que foi desviado da Petrobras], teriam que provar o pagamento do honorário de acordo com seu imposto de renda sem esse dinheiro que foi adquirido maneira ilícita”, explicou Motta.

O deputado ressaltou que, de acordo com as legislações internacionais sobre lavagem de dinheiro, os recursos, uma vez ilícitos, devem ser devolvidos para seu país de origem. “Ele [o dinheiro] não pode servir nem para pagar advogado nem para pagar qualquer outra despesa”, concluiu.

Ouça entrevista completa no áudio acima.