Desligou das notícias no feriado? Confira o que aconteceu no Brasil e no mundo

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2018 07h08
MontagemPonte da Marginal Pinheiros cedeu; Haddad virou réu; e tiroteio em Chicago: as principais notícias do Brasil e do mundo durante o feriado

Emendou o feriado da Proclamação da República com a Consciência Negra e se desligou do noticiário? A Jovem Pan mostra o que aconteceu de mais importante no Brasil e no mundo:

Ponte da Marginal Pinheiros cede

Uma parte da estrutura da alça de acesso da Marginal Pinheiros, próximo à Ponte do Jaguaré, na Zona Oeste de São Paulo, cedeu cerca de dois metros na madrugada quinta-feira (15). O acidente não deixou feridos, mas pelo menos cinco carros ficaram danificados.
De acordo com a prefeitura, a estrutura não havia apresentado indícios de problemas. Segundo o secretário municipal de Serviços e Obras, Vitor Aly, a ponte, que passa sobre a Linha 9-Esmeralda da CPTM, corre o risco de ruir.

Embora o rodízio volte ao normal no restante da cidade, um trecho da Marginal Pinheiros estará liberado do rodízio municipal a partir desta quarta-feira (21) nos horários de pico: Marginal Pinheiros, sentido Castelo Branco, entre a Av. dos Bandeirantes e a Ponte dos Remédios. A suspensão do rodízio será adotada até a liberação total da pista.

Roberto Campos Neto é indicado para o Banco Central

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) indicou o diretor do Santander, Roberto Campos Neto, para a presidência do Banco Central (BC). Ele vai substituir Ilan Goldfajn. Na mesma ocasião, Bolsonaro anunciou que o economista Mansueto Almeida vai permanecer na Secretaria do Tesouro Nacional.

O ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni aprovou a indicação em entrevista ao Jornal da Manhã. “A indicação de Roberto Campos Neto mantém o padrão de escolhas recentes de presidentes do Banco Central. Tem que ter carreira sólida e experiência. Mas ainda mais importante que isso é aprovar a independência do BC”, disse ele.

Moro é exonerado

Sergio Moro decidiu antecipar seu pedido de exoneração e pediu para deixar a Justiça Federal na última sexta-feira (16). Inicialmente, ele havia dito que sairia da magistratura em janeiro, após tirar férias acumuladas.

O pedido foi aceito e a exoneração foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (19).

Ex-presidente do Peru envolvido no caso Odebrecht pede asilo no Uruguai

O ex-presidente do Peru Alan García pediu asilo na embaixada do Uruguai no último sábado (17), depois de ser impedido de deixar o país por 18 meses. Ele é investigado no caso Odebrecht no país.

A empresa admitiu que pagou US$ 29 milhões em subornos ao longo de três governos peruanos, incluindo o segundo de Garcia.

Castello Branco na Petrobras

Roberto Castello Branco aceitou convite de Paulo Guedes

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, indicou o economista Roberto Castello Branco para presidir a Petrobras. Ele já participou do Conselho de Administração da estatal entre 2015 e 2016, durante governo Dilma Rousseff (PT).

Castello Branco também é ex-diretor do Banco Central e da Vale. Atualmente, é diretor da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Sergio Moro anuncia nomes para a PF e para equipe de transição

O atual superintendente da Polícia Federal (PF) no Paraná, Maurício Valeixo, foi convidado pelo futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, para o cargo de diretor-geral da instituição.

Moro confirmou também os delegados da PF Érika Marena e Rosalvo Ferreira Franco como os primeiros nomes para a equipe de transição — provavelmente, eles vão ocupar cargos na administração federal a partir de janeiro. Flávia Blanco, uma das principais auxiliares da 13ª Vara Federal em Curitiba, será a chefe de gabinete do ministério.

Haddad vira réu por corrupção e lavagem

O presidenciável derrotado e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) virou réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Nesta segunda-feira (19), a 5ª Vara Criminal da Barra Funda aceitou a denúncia feita pelo promotor Marcelo Mendroni, do Gedec (Grupo Especial de Delitos Econômicos).

Outras cinco pessoas também viraram rés na ação, entre elas o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o doleiro Alberto Youssef e o ex-presidente da UTC Ricardo Pessoa.

De acordo a denúncia, que tem como base delações feitas na Operação Lava Jato, Pessoa recebeu um pedido de Vaccari para pagar R$ 3 milhões, que serviria para pagar uma dívida contraída por Haddad durante a campanha para a prefeitura, em 2012. O ex-prefeito nega as acusações.

Tiroteio em Chicago

Pelo menos quatro pessoas foram mortas em tiroteio

Um tiroteio no Mercy Hospital, em Chicago, nos Estados Unidos, deixou quatro mortos na segunda-feira (19). Duas funcionárias do hospital e um policial estão entre as vítimas, além do atirador.

Segundo o jornal local The Chicago Tribune, o incidente teve início no estacion amento do hospital por causa de um “namoro rompido”.

Brasileiro presidente da Nissan é preso no Japão

O presidente do conselho da Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn, foi preso no Japão nesta segunda-feira (19), suspeito de fraude fiscal. Além de comandar a montadora japonesa, Ghosn é presidente da Renault e da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi.

Natural de Porto Velho (RO), Ghosn foi presidente da Nissan entre 2001 e 201 e deixou o cargo para cuidar das parcerias com Renault e Mitsubishi, montadora que foi adquirida após passar por escândalos de fraude e na qual ele era membro do conselho.

Bolsonaro anuncia nomes para Saúde e CGU

O presidente eleito, Jair Boslonaro (PSL), anunciou nesta terça-feira (20), o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) para o Ministério da Saúde.

Ortopedista pediátrico, Mandetta não havia se candidatado neste ano. Ele tem 53 anos e atuou como tenente no Hospital Geral do Exército.

Wagner Rosário foi indicado para permanecer na Controladoria-Geral da União (CGU), cargo que ocupa desde 31 de maio de 2017.

Governo publica edital para Mais Médicos

Mais Médicos

O Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (20) um edital com cerca de 8,5 mil vagas para o programa Mais Médicos. A publicação foi feita uma semana depois que o governo cubano anunciou a saída do programa.