DF recua e suspende volta às aulas por tempo indeterminado

A volta às aulas estava prevista para 31 de agosto; nesta quarta-feira (19), o governador Ibaneis Rocha (MDB) decidiu suspender o retorno para evitar aceleração dos índices da Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 19/08/2020 15h27
FREDERICO BRASIL/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOIbaneis Rocha (MDB)

O governador do Distrito Federal (DF), Ibaneis Rocha (MDB), decidiu, nesta quarta-feira, 19, suspender o retorno das aulas em escolas públicas por tempo indeterminado. A previsão era de volta às salas a partir 31 de agosto. O recuo ocorre para evitar a aceleração da contaminação pela Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Há 140.170 casos acumulados e 2.097 mortos pela Covid-19 na capital federal, segundo boletim desta terça do Ministério da Saúde. O último boletim de análises semanais sobre o avanço da Covid-19 da pasta, publicado em 12 de agosto, aponta estabilização das mortes no Distrito Federal. A região, no entanto, ainda bate os próprios recordes. Na terça, foram registradas 66 mortes, maior número confirmado em um dia.

Em 29 de junho, Ibaneis afirmou que o Distrito Federal abriria bares, restaurantes, escolas e outras atividades, “sem restrições”, até o começo de agosto. À época havia 47.701 casos e 559 mortos pela doença. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), também recuou e adiou o retorno das aulas presenciais em escolas públicas e privadas na capital paulista, prevista para 8 de setembro. Não há nova data definida para esta retomada. No Distrito Federal, as aulas em colégios privados estão suspensa por decisão da Justiça. O governo local havia autorizado o retorno a partir do dia 27 de julho.

*Com informações do Estadão Conteúdo