Dilma classifica divulgação de áudios como agressão à cidadania: “os golpes começam assim”

  • Por Jovem Pan
  • 17/03/2016 11h33
Brasília - DF, 17/03/2016. Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de posse dos novos Ministros de Estado Chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva; da Justiça, Eugênio Aragão; da Secretaria de Aviação Civil, Mauro Lopes e do Chefe de Gabinete Pessoal da Presidenta da República, Jaques Wagner. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Roberto Stuckert Filho/PR (ag brasil) Discurso Dilma

A presidente Dilma Rousseff fez um discurso inflamado após a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro na manhã desta quinta (17). A presidente classificou como ilegal a divulgação de falas entre ela e Lula pelo juiz Sérgio Moro e garantiu que o conteúdo do áudio foi desvirtuado. Dilma também criticou a oposição que tentam, em suas palavras, tirá-la “de forma golpista”. 

Logo no começo da cerimônia, houve um momento constrangedor. Dilma disse apenas “bom dia” e o Deputado Major Olímpio gritou: “vergonha”. Os políticos favoráveis ao governo se levantaram em clima constrangedor, e, de punhos erguidos, gritaram: “não vai ter golpe”. O grito seria repetido ao menos outras três vezes interrompendo o discurso da presidente

Áudio divulgado por Moro

Dilma atacou a condução de investigação realizada pelo juiz Sergio Moro, que divulgou áudios de conversas de Lula com a presidente, a classificando de “agressão à cidadania, democracia e Constituição”.

A postura de Moro, de acordo com Dilma, se utiliza de métodos escusos, práticas criticáveis e viola princípios constitucionais e direitos dos cidadãos. “Abre precedentes gravíssimos, golpes começam assim”, classificou a petista.

No áudio em questão, Dilma fala para Lula do envio de um documento de posse para ser utilizado “se necessário”. Para isso, ela justificou, reforçando que havia a assinatura apenas de Lula, não sendo, portanto, documento oficial. Ele seria utilizado na impossibilidade do agora ministro comparecer à cerimônia, já que sua mulher, Dona Marisa, está com problemas de saúde.

Dilma ainda afirmou que a gravação foi uma “interpretação desvirtuada” do que de fato aconteceu. “Não continha nada que possa levantar qualquer suspeita sobre seu caráter republicano”, disse. E completou: “fica nítida a tentativa de ultrapassar os limites do estado democrático de direito”

Crítica à oposição

Em determinado momento, Dilma garantiu “empenho para recolocar o Brasil nos trilhos com o Lula ao meu lado”. Depois, criticou a oposição. “Teremos mais forças para superar as armadilhas que jogam pelo caminho aqueles que desde a minha eleição em 2014 não fizeram outra coisa além de paralisarem meu governo, me impedir de governar ou tentar me tirar de forma golpista”, afirmou.

Por fim, a presidente se disse “otimista” e pediu o combate de “esse ambiente que eletriza artificialmente o país e deixa a populçação em estado de sobressalto”. O ministro-chefe da Casa Civil Lula não discursou.