Dilma diz que deputados que “salvaram” Temer são os mesmos de impeachment

  • Por Estadão Conteúdo
  • 03/08/2017 19h48
BRA10. BRASILIA (BRASIL), 16/08/2016 - La presidenta suspendida de Brasil, Dilma Rousseff, se comprometió hoy, martes 16 de agosto de 2016, durante una conferencia ante los medios de comunicación en Brasilia (Brasil), a promover un plebiscito sobre la posibilidad de adelantar las elecciones previstas para 2019, siempre y cuando sea absuelta en el juicio político que enfrenta y recupere el poder. Rousseff anunció ese compromiso durante un pronunciamiento, en el que presentó los términos de la llamada "Carta a los Brasileños", divulgada diez días antes de que el Senado inicie la fase final del proceso que puede terminar con su destitución. EFE/Cadu GomesEx-presidente Dilma Rousseff reafirma que Eduardo Cunha governa o Brasil desde a prisão de Curitiba

A ex-presidente Dilma Rousseff publicou uma nota em suas redes sociais nesta quinta-feira, 3, dizendo que deputados que garantiram a vitória de Temer na Câmara na noite anterior são os mesmos que deram início ao seu impeachment e que elegeram Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A petista também citou Renan Calheiros (PMDB-AL), dando-lhe razão quando diz que “Cunha governa desde a prisão de Curitiba”.

“Os deputados que, ontem, salvaram o presidente golpista de ser julgado no STF por crime de corrupção são os mesmos que, no ano passado, deram início ao impeachment fraudulento”, afirmou. Levantamento do Estado revelou que, dos 263 votos contra o andamento do processo contra o peemedebista ontem, 80,2% foram de parlamentares que apoiaram o impeachment.

“São os mesmos que elegeram Eduardo Cunha para a presidência da Câmara. E são os mesmos que, agora, salvam Temer. Razão tem o senador Renan em dizer que Eduardo Cunha governa desde a prisão de Curitiba”, concluiu a petista. Dilma ainda elogiou os que “não traíram” a democracia e votaram pelo prosseguimento da denúncia contra Temer.