Diretor da Vale fala em ‘revolução’ após Brumadinho: ‘Confiança leva tempo para reconstruir’

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2019 14h56
EFESegundo Luciano Siani, a mineradora está fazendo "tudo o que pode" para compensar os danos

O diretor financeiro da mineradora Vale, Luciano Siani, disse nesta terça-feira (24) que a empresa quer estabelecer um “novo pacto com a sociedade brasileira” após o rompimento da barragem de rejeitos minerais em Brumadinho (MG). O executivo reconheceu que confiança leva tempo para ser reconstruída, mas ressaltou que a Vale está “revolucionando” o nível de segurança em suas barragens.

“Queremos estabelecer um novo pacto com a sociedade brasileira”, afirmou Siani, em discurso no FT Commodities Americas Summit, promovido pelo jornal Financial Times, no Rio de Janeiro.

Segundo ele, a mineradora está fazendo “tudo o que pode” para mitigar e compensar os danos em Brumadinho. O diretor citou avanços de engenharia, no monitoramento do risco, na segurança das barragens, na governança e na gestão de riscos.

Com isso, disse Siani, o objetivo da Vale é “construir um legado” para o Brasil e o setor minerador, construindo uma mineração “diferente”, “muito melhor” do que a atual. O executivo ainda classificou o rompimento da barragem em Brumadinho como um “ponto de virada”, como foi o vazamento do navio Exxon Valdez em 1989, que levou a mudanças nas práticas da petroleira americana.

Questionado especificamente sobre o que a Vale tinha aprendido com o rompimento de uma barragem em Mariana (MG), numa mina da Samarco, da qual a companhia era sócia, Siani respondeu que houve evolução nas práticas de segurança da companhia, mas que, agora, será preciso fazer uma “revolução”. “Confiança leva tempo para reconstruir”, finalizou.

*Com Estadão Conteúdo