‘A ditadura da Justiça está implantada’, diz Sarney em gravação

  • Por Estadão Conteúdo
  • 27/05/2016 11h53
José Sarney concede entrevista. Foto: Jefferson Rudy/Agência SenadoJosé Sarney - Fotos Publicas

Em diálogo gravado e pertencente à Procuradoria-Geral da República, o ex-presidente José Sarney (1985/1990) criticou pesadamente o Judiciário brasileiro. “A ditadura da Justiça tá implantada”, cravou, em meio à falas com citações ao juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Sarney (PMDB-AP) conversa com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, alvo da Lava Jato. Em dezembro de 2015, a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Catilinárias e fez buscas na residência de Machado. Acuado, o executivo decidiu gravar conversas com expoentes do PMDB, como o ex-ministro do governo interino Michel Temer, Romero Jucá, e o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL).

O diálogo entre Sarney e o empresário ocorreu em março último. Em dado momento, eles atacam o Judiciário, conforme revelou a repórter Camila Bonfim, da TV Globo, que teve acesso com exclusividade às declarações.

Sobraram hostilidades também para a imprensa. “Não teve um jurista que se manifestasse. E a mídia tá parcial assim. Eu nunca vi uma coisa tão parcial. Gente, eu vivi a revolução. Não tinha esse terror que tem hoje, não. A ditadura da toga tá f.. “, disse Machado.

“A ditadura da Justiça tá implantada, é a pior de todas!”, respondeu o ex-presidente. Corroborado pelo Executivo: “e eles vão querer tomar o poder. Prá poder acabar o trabalho”.