Doação a famílias de vítimas de Brumadinho pode ultrapassar R$ 34 mi, menos de 1% dos lucros da Vale

  • Por Rafael Iglesias/Jovem Pan
  • 28/01/2019 20h23
Daniel Oliveira/Estadão ConteúdoNúmero subiu de 60 para 65 mortos entre a manhã e a noite desta segunda-feira

A doação prometida pela mineradora Vale a cada família de pessoas que morreram ou desapareceram após o rompimento de uma barragem de rejeitos em Brumadinho (MG) pode ultrapassar a faixa de R$ 34 milhões. De acordo com a empresa, as doações de R$ 100 mil serão pagas imediatamente e o cadastro de beneficiários já começou.

O número mais recente divulgado pela Defesa Civil de Minas Gerais contabiliza 65 mortos e 279 desaparecidos. Sem mudanças, as doações somariam um total de R$ 34,4 milhões. Esse montante representa 0,3% do lucro registrado pela mineradora de janeiro a setembro de 2018, que foi de cerca de 11,2 bilhões. O balanço anual ainda não foi divulgado.

A medida foi anunciada na noite desta segunda-feira (28) pelo diretor-executivo de finanças e relações com investidores da Vale, Luciano Siani. “A Vale vai fazer uma doação de R$ 100 mil reais para cada família que perdeu um ente querido. Quem estiver com familiares desaparecidos receberá os recursos imediatamente”, afirmou.

De acordo com o executivo, essa doação “não tem nada que ver” com indenização e serve “apenas para que incerteza de curto prazo com relação ao sustento dessas famílias seja aliviada”. Ele relatou que equipes da companhia já estão local para cadastrar famílias que possam ser eventualmente beneficiadas, mas não divulgou números.

Barragem

A barragem do Córrego do Feijão, da mineradora Vale, se rompeu na tarde da última sexta (25). A onda de rejeitos de minério de ferro atingiu a área administrativa da empresa e a comunidade da Vila Ferteco, poluindo o Rio Paraopeba – o principal da região. Além de mortos e desaparecidos, 382 pessoas foram localizadas e 191 resgatadas.