Documento final de CPI terá projetos de lei para proteger Petrobras, diz Hugo Motta

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2015 09h10
Divulgação/PMDB Divulgação/PMDB Hugo Motta

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã da Jovem Pan nesta quinta-feira (23), o presidente da CPI da Petrobras, Hugo Motta (PMDB-PB), contou que no relatório final da Comissão constarão projetos de lei para a proteção da estatal. “Trará essas sugestões para que a gente possa evoluir e atualizar a legislação vigente principalmente nos critérios de contratação para que a empresa não sofra mais com cartéis, com superfaturamento, para que a gente possa dar à estatal brasileira a condição de competitividade que ela precisa”, considerou.

As apurações por parte dos deputados serão retomadas em agosto, ao fim do recesso parlamentar. “A CPI vai seguir o seu rumo, temos o interesse de aprofundar as investigações, mas já na primeira semana de agosto volta com as acareações”, afirma. O peemedebista também garante que os acusados, sendo membros do governo ou não, receberão o mesmo tratamento. “Não cabe ao presidente [da Câmara dos Deputados] proteger ou influenciar qualquer convocação”, diz.

Sobre as denúncias que envolvem o nome de Eduardo Cunha, o presidente da Casa, como receptor de US$5 milhões, Motta garantiu que isso não vai interferir nas apurações. “A CPI tem que funcionar investigando independente do humor político, o compromisso é com apurar os fatos”, conclui.