Em último dia na PGR, Raquel Dodge apresenta denúncia da investigação do caso Marielle

  • Por Jovem Pan
  • 17/09/2019 17h53 - Atualizado em 17/09/2019 18h21
Fátima Meira/Estadão ConteúdoA procuradora geral da República (PGR), Raquel Dodge

Raquel Dodge fez, na tarde desta terça-feira (17), um balanço da sua gestão nos dois anos em que esteve à frente da Procuradoria Geral da República (PGR), cargo do qual se despede hoje. No evento, ela ainda anunciou que apresentou uma denúncia sobre irregularidades nas investigações do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes e pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a federalização do caso e a abertura de um novo inquérito.

Segundo Dodge, a denúncia foi protocolada nesta tarde e revela que houve um “desvirtuamento” para que a linha investigativa passasse longe dos reais autores do duplo assassinato, cometido há um ano e meio. Caso o pedido de federalização seja aceito pelo STJ, caberá à Justiça Federal, e não mais ao Judiciário local, o julgamento do caso.

A procuradora também apresentou denúncia contra o conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) Domingos Brazão, o delegado da Polícia Federal (PF) Hélio Kristian e mais quatro pessoas. Todos teriam tentado atrapalhar as investigações.

“A denúncia é até bastante simples e objetiva. Ela diz que Domingos Brazão, valendo-se do cargo, da estrutura do seu gabinete no Tribunal Contas do estado do Rio, acionou um de seus servidores, agente da Polícia Federal aposentado, mas que exercia cargo nesse gabinete, para engendrar uma simulação que consistia em prestar informalmente depoimentos perante o delegado Helio Kristian e, a partir daí, levar uma versão dos fatos à Polícia Civil do Rio de Janeiro, o que acabou paralisando a investigação ou conduzindo-a por um rumo desvirtuado por mais de um ano”, explicou Dodge.

O presidente Jair Bolsonaro indicou o subprocurador Augusto Aras para o cargo deixado por Dodge. Ele ainda precisará ser sabatinado pelos senadores e ser aprovado em votação no plenário. Enquanto isso, o subprocurador Alcides Martins, vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal, assumirá interinamente.

*Com Agência Brasil