Doleiro diz que vice-presidente da Câmara recebeu propina de contratos da Petrobras

  • Por Agência Câmara Notícias
  • 11/05/2015 14h48
CURITIBA, PR, 11.05.2015: CPI-PETROBRAS - CPI da Petrobras ouve o doleiro Alberto Youssef, na sede da Justiça Federal em Curitiba (PR), nesta segunda-feira (11). (Foto: Geraldo Bubniak/AGB/Folhapress)Alberto Youssef

O doleiro Alberto Youssef disse que o vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), recebeu dinheiro oriundo de propinas pagas por empresas contratadas pela Petrobras. “Não dá para dizer que esse dinheiro vinha do contrato A ou B. Era um somatório dos contratos”, disse. O pagamento a Maranhão teria sido feito diretamente por ele, dentro do esquema de pagamento a deputados do PP, coordenado pelos líderes do partido na Câmara. A informação foi uma resposta a pergunta da deputada Eliziane Gama (PPS-MA), que queria saber quais políticos receberam propina por contratos feitos pela Petrobras para construir as usinas Premium 1 e 2.

Youssef também mencionou no depoimento o nome do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Segundo Youssef, o empresário Júlio Camargo pediu a ele que pagasse a propina ao empresário Fernando Soares, que seria o operador do PMDB, para evitar que Cunha pedisse informações sobre o contrato da Petrobras com a empresa Toyo pelo aluguel de sondas pela Petrobras. “Quem me falou sobre esse pagamento foi o Júlio Camargo. Quem me disse que o Fernando (Soares) era operador do PMDB foi o Paulo Roberto Costa (ex-diretor de Abastecimento da Petrobras). O Fernando nunca me falou disso”, explicou.

A deputada Eliziane perguntou em seguida qual era a relação de Youssef com o ex-ministro-chefe da Casa Civil Antonio Pallocci – que, segundo Paulo Roberto Costa, teria pedido dinheiro para a campanha de Dilma Roussef em 2010.

Youssef disse desconhecer essa pagamento à campanha de Dilma. Disse ainda que não conhece Palocci. “Quem tinha relação com Palocci e com José Dirceu [ex-ministro-chefe da Casa Civil] era Júlio Camargo [empresário]”, disse.

A deputada Eliziane Gama disse que é preciso convocar Pallocci para depor na CPI.