‘A palavra da fé ajuda a encontrar sentido nesses momentos’, afirma Dom Odilo Scherer sobre pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2020 09h43
Estadão ConteúdoDom Odilo Scherer reforçou apoio à ciência, mas destacou importância da fé

Nesta sexta-feira da Paixão, Dom Odilo Scherer, o cardeal-arcebispo de São Paulo, lamentou que a pandemia do novo coronavírus atrapalhe as comemorações, mas ressaltou que as celebrações serão transmitidas pelas redes sociais.

“É uma situação particular, nesse ano, vamos ficando em casa para cuidar da saúde e vida, é a prioridade, mas realizando os atos religiosos de uma forma diferente. Não é a primeira vez na história da igreja, no passado em épocas de peste, fez isso, colaborou com a preservação da saúde. Graças às técnicas modernas de comunicação podemos continuar a fazer as celebrações”, afirmou, em entrevista ao Jornal da Manhã.

Dom Odilo disse que não acredita que o sermão deve passar por muitas invenções, mas admitiu que “temos que nos adequar a comunicar de uma forma nova, de entrar em contato com as pessoas de forma que não estávamos habituados.”

“É claro que o patrimônio da fé, do ensinamento da fé, é tão rico que sempre tem uma palavra oportuna para enfrentar momentos como esse, de limitação no trabalho, convício, mobilidade, que tudo tem que ser redimensionado”, completou.

O arcebispo classificou a religião como importante diante da crise: “A palavra da fé ajuda a encontrar sentido nesses momentos e reencontrar valores.”

Dom Odilo reforçou a importância da ciência: “Respeitamos e devemos incentivar, agora mais do que nunca, para que os cientistas e técnicos encontrem um jeito de prevenir os coronavirus e outras doenças que continuam presentes.”

“Esse tempo nos ajuda a sermos mais humildes. Tenho pensado nisso, com todo dinheiro, armas, potência da comunicação, de repente todos estamos de joelhos diante de um vírus, e tudo entra em colapso. Devemos ser humildes e reconhecer que há muita coisa que não dominamos, que não depende de nós e devemos nos perguntar qual sentido da vida”, concluiu.