Doria anuncia aumento de 20% a policiais e profissionais da saúde pública

Demais servidores terão reajuste de 10%; proposta será enviada para a apreciação dos deputados da Assembleia Legislativa de São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 10/02/2022 15h20 - Atualizado em 10/02/2022 15h30
Divulgação/Polícia Militar Policiais perfilados na rua Anúncio foi feito nesta quinta-feira, 10, no Palácio dos Bandeirantes

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou, nesta quinta-feira, 10, um reajuste salarial de 20% para os profissionais da Segurança Pública e da Saúde, incluindo os aposentados. As demais categorias terão um aumento de 10%, que passará a valer a partir do dia 1º de março. Os reajustes serão formalizados em projeto de lei que será enviado para análise da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) na próxima semana. “É um momento muito importante e significativo. Graças à estabilidade financeira e fiscal, podemos fazer aquilo que já desejávamos, que é o reconhecimento do funcionalismo público do Estado”, disse o tucano. “Esse aumento é fruto de um esforço coletivo de todo o governo”, acrescentou o gestor paulista.

O governo paulista afirma que aguardou a confirmação do superávit primário de R$ 5,9 bilhões em 2021 para formalizar os reajustes. De acordo com o vice-governador, Rodrigo Garcia (PSDB), “todo o superávit” foi destinado a estas categorias. O piso da segurança pública vai de R$ 2.574 para R$ 3.088. A medida vai contemplar agentes penitenciários, policiais civis, policiais militares, policiais científicos e bombeiros. Na saúde, o valor passará de R$ 1.023,28 para R$ 1.227,94. O reajuste será destinado a médicos, agentes de saúde, auxiliares técnicos e enfermeiros (veja abaixo).

Em nota, o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) afirmou que o aumento “é um justo e devido reconhecimento aos policiais, que seguiram trabalhando durante a pandemia, colocando em risco as suas vidas e as vidas de seus familiares”. “O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) recebeu a notícia da recomposição, somente como uma recuperação dos salários dos policiais dentro do seu período de administração, visto que a inflação acumulada desde o início da gestão Dória soma 19,43%”, diz um trecho da manifestação. “Apesar da recomposição, os policiais civis de SP continuam entre os cinco piores salários do país”, segue o sindicato.

Tabela apresentada em coletiva

Tabela detalha reajuste proposto pelo governo paulista