Doria condena invasão da Câmara e diz que houve excesso de professores e da GCM

  • Por Estadão Conteúdo
  • 14/03/2018 16h45
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilPrefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirma que a tentativa de invasão na Câmara foi para intimidar os parlamentares que votariam o PL 621
O prefeito de São Paulo, João Doria, disse que o Executivo condena a “invasão” de professores na Câmara Municipal nesta quarta-feira, 14. Ele admitiu ainda que houve excessos dos dois lados, de manifestantes e de guardas civis metropolitanos.

Um protesto de professores municipais contra a reforma da previdência da categoria acabou em confronto com policiais militares e guardas metropolitanos na tarde desta quarta.

A categoria tenta pressionar os vereadores a rejeitar o projeto de lei 621, que está em discussão na Câmara Municipal e propõe mudanças na Previdência dos funcionários do município.

Para o prefeito, o ato serviu para intimidar os parlamentares. “Houve uma invasão, não foi um convite, o que não justifica nenhum tipo de violência de nenhuma parte”, disse o prefeito. “Houve excesso das suas partes, de quem invadiu e da GCM também”.