Doria diz que vai alterar ciclovias ainda neste mês

  • Por Jovem Pan
  • 05/09/2017 08h20 - Atualizado em 05/09/2017 08h25
Doria deve transformar pistas exclusivas de bicicletas em ciclorrotas, que não são separadas do tráfego de veículos

O prefeito João Doria anunciou nesta terça-feira (05) no Twitter que vai “apresentar os estudos de revisão da malha cicloviária” ainda em setembro. Doria deve transformar parte das ciclovias em ciclorrotas, sem a separação física entre carros e bicicletas.

O prefeito repercutiu ainda que neste feriado (7) irá inaugurar nova sinalização nas ciclovias com o tempo estimado de pedalada até lugares-símbolo de São Paulo, como o MASP e o Parque do Ibirapuera.

Serão sinalizados trechos da Avenida Paulista, entre a Praça Oswaldo Cruz e a Praça Marechal Cordeiro de Farias (Praça dos Arcos), onde há um bicicletário, além do Estádio do Pacaembu, Praça Roosevelt, Parque Trianon e o bicicletário da Praça da Bandeira. Também será inaugurada uma ciclofaixa de lazer que funcionará aos domingos no eixo das Avenidas Brasil, Henrique Schaumann e Paulo VI, chegando ao Parque do Ibirapuera.

As ciclovias foram uma das marcas do governo anterior, de Fernando Haddad (PT), que teve como bandeira entregar 400 km de faixas exclusivas para bicicletas. O sucessor tucano criticava, desde a o pleito eleitoral do ano passado, a qualidade das ciclovias construídas pelo ex-prefeito e repercutia reclamações de moradores e comerciantes afetados pelas faixas pintadas em frente a seus imóveis.

Doria prometeu à época que iria retirar as ciclovias que não estivessem dentro de um padrão técnico mínimo. Cicloativistas mostraram preocupação com um retrocesso na política de proteção aos ciclistas.

O prefeito de São Paulo enfrenta críticas atualmente entre os paulistanos por assumir quase explicitamente a possibilidade de concorrer à Presidência no ano que vem, na metade de seu mandato à frente da capital paulista, enquanto a zeladoria urbana, marca de sua gestão, deixa a desejar.

Em entrevista à Jovem Pan em abril, o secretário de Transportes da cidade Sérgio Avelleda disse que “a bicicleta veio para ficar “, mas admitiu a transformação de ciclovias em ciclorrotas, caminhos sem a segregação entre bicicletas e automóveis, além de remanejamento e manutenção das ciclovias de Haddad. Avelleda garantiu, no entanto, que a retirada de ciclovias não se daria de modo “autoritário”.