Doria eleva o tom contra Bolsonaro: ‘A democracia é mais forte que o senhor’

O governador paulista classificou como ‘lamentável’ a postura do presidente ao ameaçar agredir um jornalista

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2020 13h02 - Atualizado em 25/08/2020 08h24
ANTONIO MOLINA/ZIMEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOO governador de São Paulo, João Doria

O governador de São Paulo, João Doria, elevou o tom e criticou o presidente Jair Bolsonaro por ter ameaçado bater em um jornalista neste domingo (23). Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (24), Doria disse que Bolsonaro afronta a democracia. “Nem o senhor, nem ninguém vai afrontar a democracia do Brasil, vai amedrontar ou emparedar jornalistas. A democracia é mais forte que o senhor, já resistiu a outras ameaças e resistirá ao seu ímpeto de flertar com o autoritarismo”, disse. O governador classificou como “lamentável” a postura do presidente. “Não me lembro de nenhum outro presidente da República que tenha dito isso frontalmente”, afirmou.

João Doria ainda citou o fato de Bolsonaro não ter feito menção às vítimas da Covid-19 no Brasil. “Tenho a impressão que o senhor ama apenas a si próprio e aos seus filhos e despreza a vida dos que o elegeram”, disse o governador, que voltou a participar presencialmente das coletivas de imprensa do governo de São Paulo após se recuperar da doença causada pelo novo coronavírus. Nesta segunda, mais cedo, o presidente participou de um evento promovido pelo governo federal para celebrar o combate à pandemia e voltou a defender a cloroquina nos tratamentos.

Economia e pandemia

Ainda na coletiva de imprensa, Doria anunciou que o estado isentará a partir desta terça-feira (25) as tarifas para a abertura de novas empresas. A medida terá validade de 60 dias, até o dia 23 de outubro. “Essa é mais uma ação do governo de São Paulo de estímulo à retomada econômica nos micro e pequenos empreendedores do estado”, afirmou o governador. Ele também comemorou a queda no número de casos e óbitos provocados pela Covid-19: foram 1.612 mortes pela doença na semana entre 16 e 22 de agosto, contra 1.764 no período entre 9 e 15 de agosto. O estado tem 28.467 mortes e 754.129 casos de Covid-19.