Educação moral e cívica pode voltar a ser disciplina obrigatória, afirma Mourão

  • Por Jovem Pan
  • 28/06/2019 18h45
Adnilton Farias/VPRSegundo ele, a "determinação e a diretriz de Bolsonaro é que matérias dessa natureza retornem"

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta sexta-feira (28) que o governo tem planos de promover a volta de educação moral e cívica aos currículos escolares, em discussão no Ministério da Educação. Segundo ele, a “determinação e a diretriz do presidente [Bolsonaro] é que matérias dessa natureza retornem”.

“Vocês sabem que o ministério [da Educação] tem sido um lugar de combate direto. Não se desmancha tudo que existe lá da noite pro dia. Tem que ser um trabalho bem organizado. Mas é determinação e a diretriz do presidente que matérias dessa natureza retornem”, disse.

A educação moral e cívica já foi uma disciplina obrigatória no Brasil e tem como objetivo reforçar o comportamento dos estudantes diante da sociedade. De acordo com Mourão, não se trata de algo relacionado a um campo ideológico específico. Ele contou que quando estudou nos Estados Unidos, durante a sua adolescência, havia uma matéria semelhante.

“Vi uma matéria chamada civics, que era exatamente ensinar a Constituição, formação da nacionalidade, todas as coisas que eram ensinadas em educação moral e cívica. Isso não é uma coisa da direita nem da esquerda, isso é educação”.

Governo trabalha com ‘agenda de costumes’

Mourão declarou ainda que o governo de Jair Bolsonaro trabalha com três eixos. O primeiro é o econômico, a cargo do ministro da Economia, Paulo Guedes. O segundo é o da segurança pública, sob o comando do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. E o terceiro é a agenda de costumes. “É um projeto caro ao presidente, e isso está sendo conduzido por ele, pessoalmente”.

O vice-presidente, reconheceu, no entanto, que a pauta dos costumes é delicada, e que é preciso cuidado para não tirar o governo do rumo que pretende seguir. “O presidente já se deu conta disso, ele não abandona o compromisso que ele tem com as pessoas que o elegeram, mas ele sabe que determinados movimentos não podem ser feitos pela conjuntura que se vive hoje no mundo como um todo”.

Para Mourão, Bolsonaro tem tido “foco” e tem cumprido os objetivos propostos para sua viagem ao Japão, na cúpula do G20, bloco das 20 maiores economias do mundo. “Estou acompanhando essa viagem dele ao Japão, ele tem batido todos os objetivos que nós nos propusemos nesse período. As coisas vão ficar cada vez no rumo que todos nós esperamos”.

* Com informações da Agência Brasil