‘Ele tem que explicar, pode ser, pode não ser’, diz Bolsonaro sobre ex-assessor citado pelo Coaf

  • Por Jovem Pan
  • 09/12/2018 13h36 - Atualizado em 09/12/2018 13h54
Rovena Rosa/Agência Brasil"Ele tem que explicar, pode ser, pode não ser", afirmou Bolsonaro

Jair Bolsonaro voltou a falar sobre relatório do Coaf que apontou movimentações financeiras suspeitas de Fabrício José de Carlos Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Neste domingo (9), após ir ao banco sob escolta policial, o presidente eleito afirmou que não teve contato com Queiroz, mas que “ele tem que explicar, pode ser, pode não ser”.

Sobre os valores dos depósitos, Bolsonaro afirmou ao jornalistas: “Das três pessoas que repassaram mais de R$ 4 mil ao longo de um ano, duas eram filhas e uma, esposa. Um repassou R$ 800. Não repassou, botou na conta dele. R$ 800 reais é repasse ao longo de um ano? Pelo amor de Deus”.

O relatório da Coaf divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. O documento não comprova irregularidades, apenas indica que os valores movimentados são incompatíveis com a atividade econômica do ex-assessor.