Elefanta maltratada por 45 anos deve chegar nesta sexta em santuário no MT

Ramba foi trazida de avião do Chile para o Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2019 12h13
Divulgação/SEBCom idade estimada de 53 a 60 anos, a elefanta de origem asiática passou a maior parte da vida no circo

A elefanta Ramba, que foi vítima de maus-tratos por 45 anos em zoológicos no Chile, deve chegar no início da noite desta sexta-feira (18) no Santuário de Elefantes Brasil. Ramba desembarcou nesta quarta no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), e no fim da manhã seguiu viagem em um caminhão rumo à Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso.

Com idade estimada de 53 a 60 anos, a elefanta de origem asiática passou a maior parte da vida no circo. Desde 2012 o animal era mantido em um zoológico do Chile, onde se recuperava dos maus-tratos sofridos ao longo de décadas.

As tratativas conduzidas por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos com o objetivo de trazer Ramba para o Santuário de Elefantes Brasil acontecem há 6 anos. A intenção é evitar a morte do animal, que já está com idade avançada para enfrentar os rigorosos invernos chilenos.

Ramba foi recebida na quarta por servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Receita Federal e da  Unidade de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro), que fiscalizam remessas em trânsito pelo Terminal de Cargas Vivas.

A elefanta foi vistoriada e teve suas características físicas confrontadas com as informações dos documentos de importação.

Agentes da Unidade Avançada do Ibama em Viracopos realizaram a conferência das licenças exigidas pela Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção (Cites). As regras estabelecidas para os países signatários da Cites exigem que o controle da movimentação internacional das espécies listadas na convenção seja realizado de forma articulada entre os países de origem e destino.

Por esse motivo, a emissão da licença de importação pelo Ibama foi condicionada à emissão da licença de exportação pela autoridade administrativa da convenção no Chile.