“Eleitores votaram com mais sinceridade”, diz cientista político Jairo Nicolau

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2014 17h18

O cientista político Jairo Nicolau analisa as pesquisas de intenção de votos para o segundo turno. “O impressionante é que excluindo as pesquisas do meio da semana passada, todas as outras mostraram empate técnico. Chegamos nas eleições com um empate técnico”, apontou ele. Com a abertura das urnas, a distância apresentada entre os candidatos provavelmente não é a mesma apresentada nas pesquisas, devido a diversos fatores: “razões como votos nulos, não comparecimento, eleitores que não revelam seu voto nas pesquisas”, exemplifica Jairo.

“Hoje há diferenças grandes entre alguns institutos como o Datafolha e Ibope, eles mostram resultados diferentes, e alguém está errando”, alerta. Para ele, uma grande vantagem de os dois candidatos estarem com empate técnico, é que os eleitores não se deixaram influenciar pelas pesquisas e se comporte de forma mais sincera. “Os eleitores brasileiros foram com sua convicção do que acham melhor”, diz o pesquisador.

Ele comparou essas eleições com as de 1989, em que havia a polarização entre os eleitores de Lula e Collor, mas que agora tudo parece mais intenso por conta das criações das redes sociais. “Elas potencializaram o que antes a gente fazia nas ruas, num bar, num comício. Agora todo mundo virou militante, postando filmes e pesquisas”, explica. Esse clima agressivo na internet, porém, deve acabar com o fim das eleições, não devem perdurar infinitamente.

Isso, para ele, se refletirá no Congresso depois das eleições. “Pela primeira vez há uma oposição consistente, haverá mais dificuldade para o governo manter uma agenda fluindo, seja para Dilma ou para Aécio”, argumenta, prevendo dificuldades para qualquer um dos vencedores destas eleições.