Em 1985, Tancredo Neves dizia no Congresso o que o Brasil precisava mudar

  • Por Thiago Uberreich/ Jovem Pan
  • 20/04/2015 17h14

Tancredo Neves no Congresso NacionalTancredo Neves no Congresso Nacional quando é proclamado presidente da República pelo Colégio Eleitoral

Tancredo Neves debatia como poucos os problemas nacionais e tinha uma visão ampla dos desafios do Brasil.

Depois de ser eleito de forma indireta pelo Congresso no dia 15 de janeiro de 1985, o presidente fez questão de reverenciar a imprensa. A ditadura estava definitivamente enterrada – ele concedeu uma entrevista de quase duas horas em um local simbólico: o plenário da Câmara dos Deputados.

A pergunta principal: que iria mudar no Brasil? (Ouça todos os detalhes das falas históricas no áudio acima)

A entrevista do presidente Tancredo Neves, concedida em 1985, parece muito atual – um tema sempre presente: a inflação.

Um dos desafios de Tancredo Neves, que assumiria em 15 de março de 1985, era a dívida externa – ele pedia apoio ao Congresso Nacional.

Questionado sobre a necessidade de corrigir os salários dos trabalhadores, o primeiro presidente civil em duas décadas ponderava que não deveria tomar atos demagógicos para “criar um problema muito pior” no futuro. Ele reconhecu a importância da previdência.

Tancredo Neves esperava uma oposição responsável ao governo dele. “A oposição é normal para a vida democrática.”

O presidente da Nova República prometia acabar com as mordomias de Brasília.

Depois da entrevista, Tancredo Neves partiu para uma extensa viagem ao exterior.

Quis o destino que ele fosse internado às pressas em Brasília na véspera da posse, marcada para 15 de março de 1985. O vice José Sarney assumiu o cargo.

O país acompanhou 38 dias de agonia, a maior parte no Instituto do Coração em São Paulo.

Na noite de 21 de abril, um domingo, coube ao porta-voz da presidência, Antônio Britto, informar a nação:

“Lamento informar que o Excelentíssimo Sr. Presidente da República, Tancredo de Almeida Neves faleceu esta noite no Instituto Coração, às 22h23. Acrescento o seguinte: nos ultimos 50 anos, a vida pública de Tancredo Neves confundiu-se com sonhos e ideais brasileiros de união, de democracia, de justiça social e de liberdade. Nos últimos meses, pela vontade do povo e com a lidernaça de Tancredo, esses ideais se trasformaram na nova República. Com a mesma fé e determinação, o Brasil haverá de realizar os ideais do líder que acaba de perder, Tancredo Neves”, anunciou o porta-voz.

Tancredo Neves foi o responsável por garantir a transição do regime militar para a democracia.

O país que hoje encara a política com desconfiança, via o mineiro, há exatos 30 anos, como a esperança de novos tempos.