Em áudio vazado, Moro diz que parlamentares também tiveram celulares hackeados

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2019 20h24
Fátima Meira/Estadão ConteúdoMoro falou ao deputado federal Celso Russomanno (PRB-SP) que parlamentares também foram hackeados

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou ao deputado federal Celso Russomanno (PRB-SP) que mais pessoas, inclusive parlamentares, foram vítimas do vazamento de mensagens do aplicativo Telegram. A conversa entre os dois aconteceu nesta quarta-feira (12) e foi divulgada pelo site da revista Veja após o parlamentar atender sem querer a uma ligação de um repórter.

Moro e Russomanno discutiram, entre outras coisas, as mensagens vazadas pelo site The Intercept no último domingo (9), em que o ministro aparece supostamente conversando com procuradores da operação Lava Jato na época em que ainda era juiz federal. Os dados teriam sido recebidos pelos jornalistas do site por uma fonte anônima que teve acesso às mensagens de Telegram do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Ao deputado federal, o ministro afirmou ter ouvido falar que mais pessoas foram vítimas de invasões. “Quando apareceu [inaudível] era montado, acho que invadiram dos procuradores, ficou esse negócio sendo remoído. Mas eles estão invadindo ainda muita gente, já ouvi falar que invadiram parlamentar lá também”, disse Moro.

No decorrer da conversa, Russomanno falou sobre sua preocupação em relação à proteção de dados. “Foi tirado o sistema do ar, foi mudado a senha de todos os funcionários, de todo mundo, porque estava tudo vulnerável, tudo, tudo, tudo, é absurdo. Um trabalho que a gente desenvolveu lá, foi o Lucas que fez com a equipe. Mas infelizmente nós estamos vivendo em um mundo que é um mundo de dados, e se a gente não estiver na rede de proteção de dados, nós vamos ter problemas sérios quanto a isso [inaudível] Vamos trabalhar”, disse.

Russomanno e Moro combinaram uma “iniciativa” para a proteção de dados, que não ficou clara no áudio. “Talvez esperar um pouquinho aí porque vai ter mais vítima para aparecer, aumenta o cenário positivo aí para uma iniciativa dessa espécie e aí podemos trabalhar junto”, disse o ex-juiz federal.

Depois da divulgação das mensagens vazadas, o ministro Sergio Moro minimizou o episódio. Também nesta quarta-feira, a rádio Band News e o editor-executivo do The Intercept Brasil, Leandro Demori, divulgaram um novo trecho das supostas conversas entre Moro e Dallagnol envolvendo o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux.