Em Brumadinho, Salles diz que ‘nunca houve projeto de afrouxamento com licenças’ em sua gestão

  • Por Jovem Pan
  • 26/01/2019 12h54
Marcelo Camargo/Agência Brasil"O que demonstramos hoje com o Ibama é que a fiscalização e a atuação do órgão é rigorosa e rápida", disse

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, visitou a área atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, na manhã deste sábado (26). Em entrevista no local, disse que, ao contrário do que se tem falado na imprensa, sua gestão não prevê nenhum tipo de afrouxamento na concessão e na fiscalização de licenças.

“Não há e nunca houve nenhum projeto de afrouxamento. Ao contrário. O que demonstramos hoje com o Ibama é que a fiscalização e a atuação do órgão é rigorosa e rápida. Precisamos ter – não neste caso, mas em todo o Brasil – foco na atuação. As situações de maior risco, maior complexidade, terão equipes com foco maior, dedicação maior”, explicou.

Assim que assumiu o ministério, Salles afirmou que um dos focos de sua gestão seria fornecer mais “agilidade e estabilidade na concessão de licenciamento ambiental”, o que foi questionado por ambientalistas.

Sobre condenação

O ministro já foi condenado em um processo por improbidade administrativa por suposta fraude em um projeto ambiental em 2016, quando estava à frente da pasta do Meio Ambiente do governo de Geraldo Alckmin (PSDB). Na ocasião, ele teria beneficiado empresários, especialmente do setor de mineração. Perguntado sobre o caso, afirmou apenas que “uma coisa não tem nada a ver com a outra”.