Em evento na Bahia, Bolsonaro diz amar Nordeste e ter ‘sangue cabra da peste’

Presidente fez primeira viagem à região após se referir aos nordestinos como “paraíbas”

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2019 13h41
ELIEZER OLIVEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOComitiva esteve em Vitória da Conquista, no interior do estado, para inaugurar o aeroporto da cidade

O presidente Jair Bolsonaro inaugurou, nesta terça (23), o Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, na Bahia. Durante o evento, marcado pela ausência do governador do estado, Rui Costa (PT), o chefe do Executivo chegou a dizer que ama o Nordeste e que tem “sangue cabra da peste”.

“Não estou em Vitória da Conquista, nem na Bahia, nem no Nordeste, estou no Brasil”, afirmou. “Não há divisões entre nós. Somos um só povo, uma só terra, um só ideal e um só objetivo: colocar esse grande país no lugar de destaque. Eu amo o Nordeste, afinal de contas a minha filha tem em suas veias sangue cabra da peste”.

O público presente aplaudiu o discurso e saudou Bolsonaro aos gritos de “mito”. A plateia selecionada, apenas de convidados que passaram pelo credenciamento e detectores de metais do aeroporto, era composta por aliados políticos do presidente e empresários.

A visita de Bolsonaro à região foi a primeira depois de o presidente chamar os nordestinos de “paraíbas”, na última sexta (19). Durante uma reunião com jornalistas, sem saber que o microfone da sala estava ligado, ele usou o termo para se referir aos governadores do Nordeste e criticou um deles, Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão.

A fala gerou críticas ao presidente nas redes sociais, principalmente de Rui Costa, que negou o fornecimento de segurança à comitiva presidencial. A guarda do evento foi feita por viaturas do Exército, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal.

Em disputa política com a oposição no Nordeste, Bolsonaro ainda cedeu espaço privilegiado ao prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), maior adversário político do PT na região. O presidente sinalizou que deseja, um dia, que ACM Neto ocupe a Presidência da República.

“Conheci o velho ACM (o ex-governador e ex-senador Antonio Carlos Magalhães) no final dos anos 80, quando eu era vereador no Rio de Janeiro. Homem forte, combativo, leal e preocupado com seu povo da Bahia, deixou bons frutos. Lá na frente, se Deus quiser, você (ACM Neto) ocupará um dia a honrosa cadeira que ocupo”, discursou Bolsonaro a uma plateia de empresários e políticos locais.

Estadão Conteúdo