Em gravação, Sarney promete ajudar para que caso de Machado não chegasse a Moro

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2016 17h24
Marcello Casal Jr/ABr - 10/02/2011 José Sarney

Em conversa gravada pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) prometeu ao executivo que poderia ajudá-lo a evitar que seu caso fosse transferido para Curitiba, sob a vara do juiz federal Sérgio Moro, “mas sem meter advogado no meio”.

Investigado no âmbito da Operação Lava Jato, Machado fechou acordo de delação premiada no Supremo Tribunal Federal, nesta terça-feira (24). Sarney, em um dos diálogos gravados em março, manifestou a preocupação sobre uma eventual delação de Machado.

“Nós temos é que fazer o nosso negócio e ver como é que está o teu advogado, até onde eles falando com ele em delação premiada”, disse.

A estratégia, no entanto, não fica clara ao longo dos diálogos entre os dois. Mas as gravações envolviam conversas com Renan Calheiros (PMDB-AL) e com o senador Romero Jucá (PMDB-RR).

Machado pediu ainda que Sarney entrasse em contato com ele assim que estabelecesse uma data para reunião entre eles e o presidnete do Senado. “E o adRomero também está aguardando, se o senhor achar conveniente”, disse Machado ao que Sarney disse que não achava.

Nas gravações, Sarney deixou claro que concordava com a tentativa de impedir que o caso do ex-presidente da Transpetro chegasse a Sérgio Moro, em Curitiba. “O tempo é a seu favor. Aquele negócio que você disse ontem é muito procedente. Não deixar você voltar para lá [Curitiba]”, disse Sarney.

Homologação de delação premiada

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki homologou nesta quarta-feira (25) os termos da colaboração premiada do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, informaram os jornais O Globo, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo.

Ele conseguiu o acordo de delação premiada após grampear conversas três importantes nomes do PMDB: Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), senador e ex-ministro do Planejamento de Temer, e o ex-presidente José Sarney, de acordo com O Globo.