Em Manaus, Bolsonaro diz que índios são ‘condenados a viver como pré-históricos’

Presidente voltou a defender o garimpo na floresta amazônica

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2019 15h34
Flickr/Palácio do PlanaltoBolsonaro disse inclusive que já tem projeto de lei, com essa finalidade, prestes a ser encaminhado ao parlamento

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender, na manhã desta quarta-feira (27), a mineração e a exploração de pedras preciosas em territórios indígenas. Em evento realizado na Zona Franca de Manaus, ele disse que o vasto território da região amazônica tem sido subutilizado, devido ao que classificou como “alto índice de demarcações de terras indígenas feitas pelos governos de esquerda”.

“Nossos índios, a maior parte deles, são condenados a viver como homens pré-históricos dentro do nosso próprio País. Isso tem que mudar. O índio quer produzir, quer plantar, quer os benefícios e maravilhas da ciência, da tecnologia. Todos nós somos brasileiros”, afirmou o presidente, questionando: “Por que reservar um espaço sobre uma terra onde você não pode fazer nada sobre ela? Nós queremos o índio fazendo na sua terra exatamente o que o fazendeiro faz ao lado. Podendo inclusive garimpar.”

A uma plateia de empresários, políticos e lideranças da região amazônica, Bolsonaro disse inclusive que já tem projeto de lei, com essa finalidade, prestes a ser encaminhado ao parlamento. “É uma sugestão minha, o projeto está bastante avançado nesse sentido. Nós não queremos manter o índio como se fosse um homem pré-histórico dentro de sua terra”, acrescentou.

Sustentabilidade e tecnologia

Essa é a segunda vez que o presidente visita a capital do Estado do Amazonas. Na manhã desta quarta, ele participou da abertura da Feira de Sustentabilidade do Pólo Industrial de Manaus (fesPIM), um projeto que busca aliar sustentabilidade e tecnologia. O Pólo Industrial de Manaus (PIM) gera aproximadamente 86 mil empregos diretos.

Em seu discurso, Bolsonaro também insistiu que existe interesse estrangeiro na Amazônia. Ressaltou, no entanto, que a Zona Franca de Manaus nasceu com o objetivo de integrar a região amazônica para dentro do País e, com isso, protegê-la. “Mas, quando a riqueza é grande, devemos redobrar a nossa preocupação com ela. Cito a indústria da demarcação das terras indígenas. Temos um Estado tomado por parques nacionais, políticas ambientalistas que em parte prejudicaram o crescimento do nosso Brasil.”

* Com informações do Estadão Conteúdo